Sindicato apresenta projeto de lei sobre segurança bancária para Câmara de Quixadá

34

        

O Sindicato dos Bancários do Ceará esteve na Câmara Municipal de Quixadá, na sexta-feira, 6/9, para apresentar projeto de lei que trata sobre segurança bancária. Em audiên-cia no plenário da Casa, o Sindicato expôs a pertinência do projeto diante do atual cenário de insegurança nas agências dos municípios cearenses.


Somente em 2011, foram registrados mais de 29 ataques a bancos no Ceará, dos quais 10 foram na região de Quixadá. “Os bancos têm lucrado muito, mas os investimentos na segurança têm sido mínimos. Entregamos esse projeto aos senhores vereadores e esperamos que a população de Quixadá tenha a sensação de maior segurança”, afirmou Gustavo Tabatinga, diretor do SEEB/CE.


De acordo com o projeto, os bancos seriam obrigados a instalar biombos, vidros blindados, portas giratórias e a aumentar o número de seguranças, entre outras medidas. O objetivo é prevenir ações de violência, como as frequentes “saidinhas bancárias”. “Quixadá está crescendo e junto vêm também os problemas, como a violência. Ver o Sindicato preocupado com essa questão, e não só com a campanha salarial, é muito feliz”, disse a vereadora Edi Leal.


Os vereadores ainda colocaram em pauta outras questões consideradas problemáticas no serviço bancário local. “É uma imoralidade a demora de atendimento nas agências bancárias em Quixadá. O atendimento que é pra ser de 15 minutos, leva 2 a 3 horas. É imoral”, disse o vereador Ereni Lima, referindo-se à lei das filas (que determina 15 minutos de espera em dias normais e 30 minutos em dias de pico). “E ainda (as agências) não têm a menor estrutura para os clientes sentarem”, completou Pedro Baquit, vice-presidente da Casa.


O diretor Bosco Mota destacou a importância do apoio local para reforçar o combate à violência nos bancos. “O poder legislativo municipal é uma força grande para a população. É muito importante que essa Casa use esse poder, com muita tranquilidade, e com certeza teremos resultados”. “Esse projeto não vai ficar em cima do birô. Nós vamos nos reunir e vamos analisar da melhor forma possível para que a gente possa ser essa força. Não para o Sindicato nem para os bancos, mas para o povo que precisa do nosso apoio”, reforçou o vice-presidente Baquit.


Após a audiência, o Sindicato visitou as agências da Caixa, Bradesco, Banco do Brasil e Banco do Nordeste da cidade para divulgar o projeto de lei à população e para informá-la sobre a Campanha Nacional 2011.

Ivone de Almeida, bancária do BEC aposentada

“Segurança nos bancos de Quixadá não existe. Pra se ter uma ideia, depois das 18h, aos sábados e domingos, não existe nenhum vigilante nos caixas-eletrônicos. Não existe segurança mesmo. Você fica horas na porta de um banco esperando que entre alguém conhecido para não entrar sozinho. É um absurdo. Por isso que no final de semana cavam um buraco, arrombam o cofre e ninguém vê”.