SINDICATO CHAMA FUNCIONÁRIOS DO BNB PASSARÉ PARA A GREVE

29

O Sindicato dos Bancários do Ceará realizou nos dias 3 e 6/10, na Praça Jader Colares do Centro Administrativo do Passaré, manifestação com o objetivo de conclamar todos os funcionários do BNB lotados na Direção Geral a se engajarem na greve. Os atos contaram com a participação de grande número de grevistas que buscaram com sua presença, sensibilizar os demais colegas a aderirem ao movimento.


A paralisação no BNB já atinge cerca de 70% de todas as agências do Nordeste. No Ceará, a adesão dos colegas das unidades operadoras guarda a mesma proporção. Entretanto, quando se apura o resultado considerando a Direção Geral, esse percentual sofre sensível queda, face ao peso do Passaré em termos de quantitativo de funcionários. São cerca de 1800 trabalhadores lotados nos diversos ambientes, mas, ontem, apenas algo em torno de 1/3 estavam participando da greve.


Tomaz de Aquino, Coordenador da Comissão Nacional dos Funcionários do BNB e Diretor do SEEB-CE, avalia que a adesão à greve pelos funcionários que trabalham no Passaré deve ter crescido hoje, 4/10, até como resultado do debate e da reflexão realizada por ocasião do ato do dia 3/10. Para Tomaz, a defesa que o Sindicato faz de que a greve no BNB deve se fortalecer e continuar se o Banco não atender as reivindicações específicas do funcionalismo tem ressonância no corpo funcional e deve assegurar o crescimento da paralisação, ainda que as reivindicações gerais como índice e PLR venham a ser atendidas pela FENABAN.


Dentre as questões específicas prioritárias para o funcionalismo BNB, Tomaz destaca a revisão do PCR; isonomia para funcionários admitidos a partir do ano de 2000 com a criação da licença-prêmio retroativa, anuênios e extensão do auxilio material escolar; e o pagamento da PLR social de forma linear, mediante distribuição de 3% do lucro líquido do Banco no exercício de 2011, adicionalmente à PLR tradicional que vier a ser aprovada na Convenção Coletiva Nacional.

ASSÉDIO MORAL – O Sindicato continua recebendo denúncias de assédio moral praticado por gestores de algumas áreas do Banco em relação a funcionários grevistas. Uma das últimas denúncias envolve a Área de Produtos e Serviços, onde funcionários comissionados que aderiram à greve estão sendo convocados a retornarem ao trabalho. O SEEB-CE avisa que não irá tolerar esse tipo de prática anti-sindical e encaminhará ao Ministério Público do Trabalho os nomes dos gestores que estão cometendo assédio contra os trabalhadores, pois já os identificou. Caso haja alguma retaliação, como a retirada de comissão, por exemplo, o Sindicato adotará de imediato as medidas jurídicas cabíveis para reverter a situação.