Sindicato cobra do BNB ações sobre PCR, ponto eletrônico e fortalecimento da Camed

11


Ao retomarem a negociação da pauta específica de reivindicações dos funcionários do BNB, o Sindicato dos Bancários do Ceará e a Contraf-CUT cobraram agilidade do BNB na implantação de um novo PCR, acesso à fiscalização do processo de implantação do Ponto Eletrônico e a implementação de medidas para o fortalecimento da CAMED, dentre outros assuntos.


A reunião ocorreu dia 26/11 e serviu também para denunciar a falta de transparência nos processos de concorrência interna, a morosidade na apresentação de soluções para passivos trabalhistas, a indefinição sobre o destino dos aposentados pelo INSS que continuam trabalhando na Instituição e a falta de condições de trabalho nas agências da Capital e do Interior.


Confira alguns detalhes da negociação:


Passivos trabalhistas – Após fazer apresentação de várias ações trabalhistas envolvendo funcionários do BNB, a Contraf-CUT, representada pelo seu vice-presidente, Carlos Souza, sugeriu a realização de negociações específica com cada sindicato.


Concursados – O coordenador da Comissão Nacional dos Funcionários do BNB e diretor do SEEB/CE, que assessora a Contraf-CUT nas negociações, Tomaz de Aquino, cobrou do Banco dados sobre a convocação dos aprovados no concurso 2010. De acordo com o Banco, já no início de dezembro, os convocados deverão assumir não somente nas novas agências, como também em unidades que apresentam demanda de pessoal.


Logística e TI – A Contraf-CUT cobrou uma reunião específica para debater a questão da logística das agências do BNB. Embora tenha sido informada que as novas agências já estão sendo inauguradas com um novo sistema e um novo modelo de gestão, a entidade cobra que essa tendência seja estendida a todas as unidades do Banco.


Dupla matrícula – Os representantes dos trabalhadores solicitaram à direção do BNB que olhasse com cuidado a situação de alguns funcionários do Banco que também são professores do serviço público. De acordo com o BNB, 84 bancários estão nessa situação e o Banco vem enfrentando problemas com órgãos fiscalizadores que cobram a opção do servidor por um dos dois empregos. Entretanto, o Banco informou que vem acompanhando os casos de perto e que pretende resolver a questão da melhor forma possível.


Concorrências – O vice- presidente da Contraf-CUT, Carlos Souza, cobrou do BNB a elaboração de regras que valorizem mais os critérios objetivos nos processos de concorrências realizados pelo Banco, como forma de criar uma seleção mais transparente. O Banco informou que vem implementando um rol de medidas de avaliação de acordo com a CIN-Pessoal buscando essa transparência, com a utilização de critérios concretos. Além disso, o Banco informou que realiza a cada três anos o rodízio de gerentes. Carlos Souza alertou para que o processo de rodízio ocorra de forma positiva, e nunca de maneira punitiva. Ele ainda cobrou que os novos critérios de transparência adotados pelo Banco se estendam a todo e qualquer processo seletivo do Banco e não apenas para as novas agências.


Ponto Eletrônico – O Banco informou que, durante o período de adequação (três meses), será utilizada a assinatura da folha e o ponto eletrônico de forma simultânea. Após esse período, o Banco trabalhará com o travamento de sistema para inibir a burla do ponto. Além disso, o BNB orienta a proibição de senhas pessoais em mais de uma máquina ao mesmo tempo. A Contraf-CUT ressaltou a importância do cumprimento da jornada de seis horas e o pagamento integral das horas extras eventualmente trabalhadas.


Revisão do PCR – A Contraf-CUT propôs a criação de um GT paritário de caráter político, com quatro membros de cada lado, para negociar junto ao DEST a revisão do Plano de Cargos e Remuneração (PCR), cujo conteúdo técnico foi discutido paritariamente. A entidade sugeriu a realização de três reuniões para dar andamento ao processo. A primeira já deve acontecer na primeira quinzena de dezembro, a segunda em janeiro e a terceira em fevereiro, em Brasília, quando se buscará a participação direta de representantes do DEST.


Aposentadoria – Os trabalhadores cobram informações sobre um plano de incentivo à aposentadoria que, segundo o Banco, está sendo analisado nos órgãos competentes do governo federal. As entidades representativas querem conhecer o teor desse documento o mais rápido possível, a fim de se posicionarem.


Mesas temáticas – As entidades representativas dos funcionários fizeram uma breve apresentação sobre as conclusões do GT Camed e demonstraram sua preocupação quanto à saúde financeira do plano de autogestão. Segundo foi avaliado pela Contraf-CUT/SEEB-CE, as propostas do GT avançaram muito pouco e, diante disso, a entidade sugeriu a retomada urgente das mesas temáticas de Saúde (Camed) e de Previdência (Capef). A reunião da mesa de Saúde deve acontecer ainda em dezembro, enquanto que a de Previdência ocorrerá em janeiro de 2013.