Sindicato cobra pagamento da PLR pelo BNB até o dia 20/4

8


Em reunião realizada na última sexta-feira, dia 4/4, com o novo presidente do BNB, Nelson Antônio de Souza, o Sindicato dos Bancários do Ceará cobrou o pagamento da PLR de 2013, cuja data havia sido anunciada pela diretoria do Banco como sendo 2 de abril de 2014, o que não foi concretizado por indefinição do DEST, conforme alertado pelo Sindicato.


A exigência de pagamento da PLR feita pelo Sindicato baseia-se no direito de os funcionários usufruírem do benefício tão logo seja feita a distribuição dos dividendos aos acionistas, anunciada pelo Banco para o próximo dia 10/4. O pagamento da PLR aos trabalhadores até o dia 20/4 seria o prazo máximo aceitável por ser a data da folha mensal.


Caso o pagamento da parcela restante da PLR 2013 dos funcionários não seja efetivado até o dia 20/4, caberá ao Sindicato adotar procedimentos jurídicos para assegurar o direito dos trabalhadores, afirma Tomaz de Aquino, diretor do SEEB/CE e Coordenador da Comissão Nacional dos Funcionários do BNB.


Luta do SEEB/CE por novos funcionários avança com admissão de 1.200 concursados até maio/2014


Mais uma luta comandada pela Contraf-CUT e Sindicatos da Comissão Nacional dos Funcionários do BNB obteve avanços significativos com anúncio, na última sexta-feira, 4/4, pelo novo presidente do BNB Nelson Antônio de Souza, da admissão de pelo menos 1.200 concursados de 2010, até o final de maio deste ano.


O concurso realizado para cadastro de reversa expira no mês de junho de 2014, razão porque dada a necessidade urgente de pessoal para melhorar o atendimento e a iminência do final do prazo de validade, o Sindicato dos Bancários do Ceará constantemente reivindicava a convocação dos concursados. O SEEB/CE vai acompanhar o processo de admissão desses concursados, colocando-se à disposição de todos desde já para lutar pelos seus direitos.


A direção do BNB já anunciou sua disposição de realizar novo concurso, o que também faz parte da ação reivindicatória do Sindicato, que luta por mais emprego, contra a terceirização, pelo fortalecimento do BNB, valorização do seu quadro funcional e respeito e dignidade no atendimento da parcela da sociedade que necessita de serviços de um verdadeiro banco de desenvolvimento.