Sindicato cobra providências sobre ambiente precário em Pentecoste

5


Na segunda-feira, 20/5, o Sindicato dos Bancários do Ceará (SEEB/CE) enviou uma carta ao Superintendente Regional do Banco do Brasil em Fortaleza, Eloi Medeiros, cobrando providências em relação às condições precárias de trabalho na agência do banco em Pentecoste.


Em abril de 2012, a unidade foi alvo de uma ousada ação criminosa, ficando totalmente destruída.  No documento enviado à Superintendência, o Sindicato comunica que, desde então, os mobiliários disponíveis são incompatíveis com as atividades desenvolvidas.


No caso dos caixas, por exemplo, as operações bancárias ficam às vistas dos clientes. Além disso, a agência sequer apresenta porta giratória com detector de metais – item considerado como instrumento básico para a segurança das instituições financeiras.


“Diante da gravidade da situação relatada, que põe em risco a saúde e  segurança dos funcionários da mencionada agência, esperamos que as providências sejam adotadas com urgência que o caso requer”, finaliza a carta.


Em março, o Sindicato esteve na agência para constatar os problemas do local. “Depois da ação dos bandidos, a fachada foi reconstruída, mas o interior da agência não foi e está fora das exigências legais de segurança. Desde então os funcionários e clientes estão expostos a inúmeros riscos”, denunciou Bosco Mota, diretor da entidade.


Relembre – No dia 10 de abril de 2012, por volta de 1h30 da manhã, cerca de 15 indivíduos armados de fuzis, pistolas e escopetas explodiram e roubaram a agência do Banco do Brasil da cidade de Pentecoste (a 89 km de Fortaleza). A agência ficou totalmente destruída com a explosão.