Sindicato comanda batalha judicial pelo pagamento da 7ª e 8ª horas no BNB

6


O Sindicato dos Bancários do Ceará ingressou contra o Banco do Nordeste do Brasil com ação na Justiça do Trabalho reivindicando o pagamento da 7ª e 8ª horas trabalhadas para os Agentes de Desenvolvimento.


A ação tramita na 6ª Vara do Trabalho de Fortaleza, aguardando a convocação da primeira audiência una de conciliação, instrução e julgamento.


O objetivo é obter da Justiça decisão favorável à tese de que os Agentes de Desenvolvimento estão submetidos legalmente à jornada de 6 horas, sendo ilegal a determinação do BNB de que cumpram jornada de 8 horas.


A ação é apenas a primeira de uma série de outras que visam restabelecer a jornada de 6 horas para funcionários comissionados do BNB em diversas áreas identificadas após minucioso estudo do perfil e atribuições desempenhadas pelos ocupantes de funções em comissão na Instituição.


O Sindicato alerta à direção do Banco para o enorme passivo trabalhista que está sendo gerado pelo descumprimento da lei que pode ter como consequência o pagamento de elevado montante a título de horas extraordinárias.


“A direção do BNB terá que justificar perante a Justiça a razão de exigir jornadas de trabalho acima de 6 horas, desrespeitando direito histórico da categoria bancária”
Tomaz de Aquino, diretor do Sindicato e coordenador da CNFBNB/Contraf-CUT