Sindicato comemora 80 anos de lutas e conquistas com grande festa no Pirata Bar

10


Muita alegria e forró para comemorar os 80 anos do Sindicato dos Bancários do Ceará, completos no dia 21 de fevereiro. A festa acontece no próximo dia 23 de fevereiro (sábado), no Pirata Bar (Rua dos Tabajaras, 325 – Praia de Iracema), a partir das 22h, com a energia contagiante de Elba Ramalho, o autêntico forró pé de serra de Chico Pessoa e a alegria da Banda do Pirata.


Por motivos de segurança, como a capacidade do local é limitada, o bancário sindicalizado que desejar ir à festa deverá fazer sua pré-inscrição no site da entidade (www.bancariosce.org.br/pre_inscricao.php) e garantir o seu convite, com direito a um acompanhante. O convite, pessoal e intransferível, será entregue ao bancário na véspera da festa, dia 22/2, na sede do Sindicato.


Caso as inscrições ultrapassem a capacidade máxima do local da festa, os bancários ficarão aguardando numa lista de espera, cujo resultado será divulgado no sábado pela manhã, dia da festa, na sede do SEEB/CE.


Mesmo de posse do convite, o bancário e seu acompanhante devem se identificar na portaria do clube.


80 anos em defesa dos bancários – O Sindicato dos Bancários do Ceará foi fundado em 21 de fevereiro de 1933, tendo participado ativamente de momentos importantes da história do Brasil. A entidade sobreviveu a dois golpes de Estado (o Estado Novo de Getúlio Vargas e o golpe militar de 1964) e a vários planos econômicos governamentais. O suicídio de Getúlio Vargas, a renúncia de Jânio Quadros e o impeachment do presidente Fernando Collor, luta de que participou ativamente no Ceará – são eventos ocorridos no decorrer de sua trajetória.


Em sua existência, o Sindicato sofreu três intervenções. A primeira foi durante o Estado Novo (1937-1945) e duas vezes no período da ditadura militar (1964-1985).


Foi somente em 1979 que uma frente política de oposição à ditadura ganha a eleição no Sindicato, assumindo a presidência Maria da Natividade, ligada ao PCB, e funcionária do Banco do Brasil. A predominância do PCB/PCdoB na diretoria do Sindicato permanece até 1988, quando uma chapa ligada à CUT (Central Única dos Trabalhadores) vence a disputa.


Conquistas históricas – Em 1985, ocorre a primeira grande greve nacional dos bancários após o golpe de 64. Naquela campanha salarial conseguiu-se unificar a data-base da categoria. Seguiriam até 1989 uma série de greves e conquistas que se incorporam às convenções coletivas dos bancários: o Plano de Cargos e Salários (PCS) para os bancos oficiais, equiparação do BB ao BNB e a criação de pisos salariais para os bancos privados. É também em 1989 que, em uma assembleia histórica, o Sindicato dos Bancários do Ceará filia-se à CUT.


Durante o governo neoliberal de Fernando Henrique Cardoso e Tasso Jereissati, o Sindicato dos Bancários do Ceará travou ferrenha luta contra as demissões em massa nos bancos públicos, a privatização do sistema financeiro estatal e o desmonte das conquistas históricas da categoria. Ressalte-se no período de 1998 a 2002, a realização das Caravanas da Solidariedade, que percorreram todo o Ceará pregando contra as privatizações do setor público.


A partir de 2003, o Sindicato vem acumulando uma série de conquistas importantes para a categoria, entre elas, o aumento real de salários, por nove anos consecutivos; ampliação da PLR, cesta alimentação e 13ª cesta, ampliação da licença maternidade, pagamento de passivos trabalhistas relativos a direitos usurpados no governo FHC, a luta pela igualdade de direitos para homoafetivos, luta pela isonomia entre novos e antigos funcionários, entre outras.