Sindicato continua na luta contra a terceirização no Banco do Brasil

57

A Delegacia Regional do Trabalho do Ceará (DRT/CE) realizou fiscalização no Setor de Processamento de Envelope de Caixa do Banco do Brasil, situado na Gerência Regional de Logística (Gerel), a partir de denúncia feita pelo Sindicato dos Bancários do Ceará.


O relatório de inspeção apresentado pelos auditores fiscais mostra que a empresa foi autuada no artigo 41 da CLT por manter oito empregados sem registro. “Estes empregados são da empresa PROBAK S/A e executam tarefas típicas da atividade-fim do Banco do Brasil, o que caracteriza uma terceirização ilícita”, relatam os auditores no documento.


Essas tarefas são o processamento de numerário e cheques oriundos dos caixas eletrônicos, que envolve recepção, contagem, preparação, conferência, efetivação dos depósitos nas contas dos favorecidos, dentre outras atividades.


A conclusão dessa fiscalização será remetida pela DRT/CE à Procuradoria Regional do Trabalho (PRT) da 7ª Região para que sejam tomadas as devidas providências.


A luta dos sindicatos contra a terceirização é tão antiga quanto a prática da irregularidade nos bancos. O Sindicato dos Bancários do Ceará continuará lutando contra a terceirização dos bancos públicos e contra a precarização do sistema bancário.