Sindicato dá continuidade a reuniões no BNB

15

    

Durante os dias 2 e 3/2, o Sindicato dos Bancários do Ceará deu continuidade ao ciclo de reuniões nas agências do Banco do Nordeste do Brasil (BNB), dessa vez visitando as unidades da Bezerra de Menezes e Gomes de Matos (Montese). As visitas tem como objetivo realizar um debate com o funcionalismo sobre as reivindicações da pauta específica aprovada em Congresso e discutida com o Banco na mesa permanente de negociação.


Durante as reuniões foram abordadas questões relacionadas à implantação do ponto eletrônico, isonomia, Camed, Capef e revisão do PCR, dentre outras.


Sobre a revisão do PCR, o Sindicato informou aos funcionários que é necessária muita mobilização para se alcançar essa conquista, pois as instâncias governamentais não vêm sinalizando sobre a aprovação dessa demanda.


O mesmo se aplica à luta pela isonomia – questão que abrange todas as empresas estatais e que conta com projeto de lei sobre o tema, mas que pouco têm avançado nos últimos anos. O Sindicato defende ampliar sua ação nesse âmbito com o ingresso de uma ação coletiva para todos os bancários, pleiteando a isonomia de tratamento em relação a benefícios como licença-prêmio para funcionários que têm mais de 30 anos de Banco e admitidos a partir do ano 2000 que pleiteiam também o anuênio e o auxílio material escolar.


Quanto ao ponto eletrônico, o Banco prometeu a instalação das máquinas durante o mês de fevereiro. Há ainda uma negociação com o BNB quanto à criação de algumas flexibilizações no sistema. Entretanto, o Banco ficou de apresentar uma proposta de acordo e o Sindicato está aguardando para analisar do ponto de vista político e jurídico.


Os funcionários questionaram ainda sobre a abertura de novas agências, mas o Sindicato informou que o governo federal ainda não autorizou a contratação de pessoal. Já quanto à situação dos cerca de 1.200 aposentados pelo INSS que continuam no Banco, o Sindicato reforçou que é necessária a revisão do benefício previdenciário do Plano BD da Capef para a solução da questão.


Sobre a Camed, o SEEB/CE informou que o equilíbrio financeiro da Caixa de Assistência precisa ser alcançado, sem onerar ainda mais os funcionários. Para isso, defende a criação de um Fundo de Assistência à Saúde para custear despesas não acompanhadas no rol de eventos da Camed, despesas odontológicas e com aquisição de óculos e medicamentos, bem como rever a co-participação financeira do associado e a taxa de proteção financeira. Os associados do Plano Natural será consultada sobre esses assuntos através de pesquisa.


As visitas devem continuar e acontecem também em agências do interior do Estado e brevemente serão retomadas nas unidades da Direção Geral.