Sindicato debate Estatuto de Segurança Bancária na Câmara de São Gonçalo do Amarante

6


Em audiência pública, na Câmara Municipal de São Gonçalo do Amarante, no dia 14/3, foi debatido o Estatuto da Segurança Bancária e a proposta de criação de lei naquele município, semelhante à existente em Fortaleza. Concebido através de uma iniciativa do Sindicato dos Bancários do Ceará, o Estatuto prevê a execução de medidas para aumentar a segurança das agências bancárias, protegendo os bancários e os clientes da ação dos bandidos, e penalizando as instituições que não cumpram o que é estabelecido na lei.


Na abertura da audiência pública, o diretor do SEEB/CE, Ricardo de Paula, lembrou que os bancos lucram bilhões e têm sim, condições de atender com segurança os cidadãos. “A vida das pessoas vem em primeiro lugar e deve ser protegida, inclusive pelos bancos. A ideia da lei de segurança bancária municipal é exatamente para atender o cidadão usuário dos bancos e os trabalhadores”.


O diretor do Sindicato, Gustavo Tabatinga, mostrou como foi criada a lei municipal de Fortaleza. Lembrou que “é preciso que a lei, ao ser criada, traga também consigo mecanismos de fiscalização pelo município”, enfatizando que a fiscalização e aplicação de multas são previstas no Estatuto de Segurança Bancária e cabe ao poder público municipal sua fiscalização.


Proposta bem aceita – A proposta apresentada pelo Sindicato foi bem aceita pelos vereadores do município de São Gonçalo do Amarante. O vereador Alfredo Matos (PT/CE) imediatamente deu início ao projeto de lei para ser votado na Câmara, acrescentando outros itens importantes para a população, no âmbito dos bancos, como banheiros e bebedouros. O presidente da Casa Legislativa, José Ednaldo Lopes Martins, anunciou que será imediata a votação da proposta de lei municipal, visando a segurança bancária.


Estiveram presentes à au-diência os diretores do Sindicato, Gustavo Tabatinga, Ricardo de Paula e Rogério Montenegro. Além dos vereadores da Casa, estavam presentes também o gerente da agência da Caixa Econômica Federal, Julio Ramos e o comandante da Guarda Municipal, tenente-coronel Deoclécio.


Histórico do Estatuto – A campanha “Banco Legal é Banco Seguro” foi lançada pelo Sindicato em 2012, juntamente com a proposta para criação da lei municipal na Câmara de Fortaleza, consolidando toda a legislação municipal sobre segurança bancária. A ideia virou a lei municipal 9.910/12. Agora amadurecida e já sendo cumprida, em parte, pelos bancos da Capital, o Sindicato passou a apresentar o mesmo projeto para as demais Câmaras Municipais do interior, em cidades com mais de 50 mil habitantes e mais de três bancos, para apreciação dos vereadores.


O Sindicato já levou a ideia do Estatuto a vários municípios, estando aprovado em Fortaleza, Tianguá e Crateús e está em tramitação nas cidades de Acaraú, Barbalha, Pacajus, Horizonte, Maracanaú, Caucaia, Pacatuba e agora em São Gonçalo do Amarante.


==========


“A ideia dessa lei muda a ótica de tratamento dos bancos com as pessoas, colocando-as em primeiro lugar. Está mais do que na hora da vida dos seres humanos ser tratada de uma forma diferente. Essa lei busca atenuar a falta de interesse dos bancos em relaçao à vida dos bancários, clientes e usuários. ”
Ricardo de Paula, secretário geral do Sindicato dos Bancários do Ceará