Sindicato debate segurança em reunião do Fórum Sindical

32


Em mais uma reunião do Fórum Sindical, o Sindicato dos Bancários do Ceará esteve na Superintendência do Banco do Brasil (Super/CE), na última quinta-feira, 14/9, para tratar com o banco sobre segurança nas agências, principalmente, no Interior.


Os diretores José Eduardo Marinho, Bosco Mota, Valdir Maciel e Plauto Macedo mostraram ao banco dados coletados pelo Sindicato sobre a situação nas agências do Interior que foram sinistradas, bem como a situação dos comerciantes e população em cada local. Esse levantamento será divulgado em breve pelos meios de comunicação da entidade.


Para resolver os casos de alguns municípios, o banco reabriu várias agências para funcionar sem numerário, o que tem causado estranheza e várias reclamações por parte da população dessas cidades. “As pessoas ainda não têm o hábito de lidar com agências nesse perfil”, esclareceu o diretor Valdir Maciel.


O Sindicato destacou ainda que várias agências estão sobrecarregadas, principalmente, devido ao número de unidades fechadas por conta de explosões: as pessoas acabam tendo que se deslocar a outras cidades próximas, causando superlotação. “Há cerca de 300 funcionários a menos no Estado, uma redução no quadro de 15%, isso certamente já causaria sobrecarga no atendimento. Como se não bastasse, ainda há o agravamento com a questão das explosões”, analisa José Eduardo Marinho.


O Fórum Sindical foi organizado a partir do processo de negociação local, entre o Sindicato e a diretoria estadual do Banco do Brasil, sendo criado especialmente para abrir o debate sobre as questões que estão na alçada do BB local. A ideia é debater as questões visando solucioná-las.


CONDIÇÕES DE TRABALHO – O Sindicato destacou ainda a situação precária de várias unidades na Capital e no Interior que estão funcionando de forma deficitária. Como exemplo, foi citado o caso da agência de Itaiçaba que funciona numa casa simples, sem qualquer estrutura. O Sindicato cobrou que o BB instale a unidade num local mais adequado e seguro. Outros casos foram relatados com problemas estruturais por todo o interior cearense.


CAMPANHA NACIONAL – O Sindicato esclareceu ainda o ineditismo da campanha nacional dos bancários 2017. Com a assinatura de um Acordo Coletivo dos Funcionários do BB válido por dois anos, com vigência até 31 de agosto de 2018, o Sindicato deve focar as ações da campanha deste ano na defesa do emprego, do BB como banco público e na proteção dos direitos adquiridos pelo funcionalismo. “Vamos realizar reuniões por local de trabalho esclarecendo os 21 itens do termo de compromisso entregue à Fenaban e nossa campanha será focada ainda em três mesas específicas: segurança, saúde e condições de trabalho. Nosso foco é defender direitos historicamente conquistados por nossa categoria”, esclareceu José Eduardo.