Sindicato defende Isonomia como prioridade em fóruns da categoria

12

O Sindicato dos Bancários do Ceará defende em todos os fóruns da categoria a continuidade do tema isonomia como prioridade para o movimento sindical bancário, não apenas na campanha salarial, mas em todo o processo de negociação das mesas permanentes e específicas.


A falta de tratamento isonômico entre bancários atinge particularmente funcionários de bancos públicos admitidos por concurso a partir do ano 2000. Esse contingente já representa hoje mais de 50% da força de trabalho no Banco do Brasil, Caixa e BNB.


Nesses bancos os avanços que o SEEB-CE e a Contraf-CUT já alcançaram são concretos: plano de previdência complementar, adiantamento de férias, ausências abonadas, plano de cargos único para todos os funcionários são conquistas isonômicas atingidas em consequência da mobilização durante as greves e das mesas especificas de negociação ao longo dos anos. “Mas é preciso continuar lutando por licença-prêmio para todos os funcionários de bancos federais, anuênios e auxílio material escolar para os admitidos a partir do ano 2000”, afirma Tomaz de Aquino. “Somente quando conquistarmos todos esses direitos é que daremos por concluída a luta por isonomia nos bancos federais”, concluiu Tomaz.


O movimento sindical, através de suas centrais, principalmente CUT e CTB, tem se empenhado na solução do problema da isonomia, através de diversas ações, como: pressão junto aos órgãos de governo para a revogação das resoluções do DEST que tratam do assunto; reuniões com entidades representativas de trabalhadores de outras estatais que sofrem do mesmo problema visando unificar e fortalecer a luta por isonomia; acompanhamento e cobrança junto aos parlamentares sobre o andamento de projetos de lei que tramitam no Congresso Nacional visando a obtenção de tratamento isonômico para todos os funcionarios de estatais.