Sindicato defende ponto eletrônico no BNB igual ao do Banco do Brasil

12


O Sindicato dos Bancários do Ceará vem recebendo reclamações de todos os segmentos de funcionários do BNB, da Direção Geral e agências, sobre o funcionamento do Registro Eletrônico de Ponto (REP) implantado pela direção do Banco.


Gerentes de unidades operadoras reclamam de pressão exercida pelas Superintendências Estaduais, quanto à obrigatoriedade do funcionário registrar o ponto exatamente ao final de sua jornada, sem que o Banco ofereça as condições para a realização dos serviços e cumprimento das metas.


Funcionários, por seu turno, denunciam gestores que forçam a barra para o registro do ponto ao fim da jornada, mas que continuem trabalhando de forma ilegal e sem a devida anotação da hora extra e seu respectivo pagamento pela Empresa. 


O SEEB/CE orienta os trabalhadores a não aceitarem trabalhar fora de sua jornada, após o encerramento do ponto. Se há necessidade de trabalho extraordinário, que o ponto continue aberto e o registro eletrônico seja feito apenas no encerramento das atividades, de forma a configurar a extrapolação extraordinária da jornada.


Modelo BB – O Sindicato já esperava a ocorrência dessas distorções, tanto que desde o início das discussões sobre ponto eletrônico sempre defendeu para o BNB o modelo implementado no BB. O ponto eletrônico no Banco do Brasil tem seu registro iniciado quando o funcionário liga o seu computador e é encerrado automaticamente ao final da jornada, quando o sistema é bloqueado.