Sindicato denuncia caos na agência Centro do BNB

19


O Sindicato dos Bancários do Ceará denunciou, mais uma vez, no dia 18/12, o caos em que se transformou a agência Centro do Banco do Nordeste do Brasil, em Fortaleza. O prédio hoje pertence à Justiça Federal e a reforma está a todo vapor. Clientes e funcionários sofrem com o barulho, poeira, além da superlotação e das péssimas condições de trabalho e atendimento, pois todos os setores, que antes ocupavam três andares e a sobreloja, hoje estão concentrados em dois andares.


Em reunião com os funcionários, o Sindicato recebeu várias denúncias sobre as péssimas condições de trabalho as quais os bancários estão submetidos. De acordo com relatos, já foram danificados objetos e até documentos devido às infiltrações por conta da obra no prédio. Além disso, os bancários denunciam que a poeira e o barulho das máquinas deixam o ambiente totalmente insalubre. Enquanto isso, a reforma do prédio onde deverá funcionar a nova sede da agência está embargada há cerca de três meses.


“O Banco precisa agilizar essa reforma, pois as condições de trabalho aqui na agência Centro estão cada vez piores. Precisamos pressionar o Banco para tomar providências urgentes, porque conversas já tivemos várias, mas isso parece não está surtindo efeito. Só com pressão e mobilização é que vamos conseguir resolver esse problema”, disse o diretor do Sindicato, Tomaz de Aquino.


Os funcionários apresentaram queixas referentes ao ponto eletrônico e o Sindicato informou que está tentando uma reunião com a direção do BNB para levar ao conhecimento do Banco essas pendências. “O momento de discutir é agora, quando ainda estamos na fase de transição. Agora queremos deixar bem claro que o Sindicato defende o respeito à jornada de seis horas, com o devido pagamento das horas extras eventualmente trabalhadas”, informou Tomaz.


Ministério Público – O Sindicato ressaltou ainda que já instaurou um procedimento no Ministério Público do Trabalho (MPT) para fazer uma avaliação do que está acontecendo atualmente nas agências do BNB,  tanto na Capital quanto no Interior.


Tomaz de Aquino ressaltou que o Banco tem um programa de expansão, mas que os benefícios desse programa só são voltados para as novas agências. Ele enfatiza que o Sindicato deseja que essas benesses estruturais, além das convocações de novos funcionários, devem ser estendidas também às agências que já existem.


“O Banco deverá ser chamado, oficialmente, para se justificar com relação a essa situação de caos dentro das agências. O BNB hoje tem uma demanda muito grande, tem atendido a dois dos maiores programas de microcrédito do mundo – CrediAmigo e AgroAmigo – além do Pronaf e renegociação de dívidas decorrentes da seca. Tudo isso faz com que as agências lotem mais a cada dia e, no entanto, as condições de trabalho e de atendimento não melhoram. Exigimos que o Banco se pronuncie e tome providências para sanar essa questão”, finaliza Tomaz.