Sindicato denuncia cobrança abusiva de metas por mensagens de texto

13

O Sindicato dos Bancários do Ceará vem identificando denúncias de pressão por metas aos funcionários do Banco do Brasil. As cobranças são consideradas abusivas porque se dão por mensagem de celular, fora do horário de expediente e com ameaças.


As mensagens são enviadas pela Superintendência Regional do BB e chegam a qualquer hora do dia e em qualquer dia da semana. Há casos de funcionários que recebem mensagens cobrando metas, mesmo estando de licença saúde, ou em finais de semanas, ou em altas horas da noite. “A Super envia as mensagens para os gerentes de conta e os analistas mandam para os assistentes. É uma cadeia. E todas têm o mesmo teor de ameaça: ‘tem gente que ainda não vendeu um seguro de vida, está faltando tantos dias para acabar o prazo e ainda não foi registrado nada, depois que perde a comissão não sabe porque, depois que recebe uma notação baixa não sabe porque’. Alguns funcionários denunciam que se forem ler todas as mensagens que a Super manda para eles, vão ter que parar de trabalhar. E detalhe: os celulares são pessoais, nenhum desses celulares de funcionários que estão recebendo mensagens são de origem corporativa”, explica a diretora do Sindicato e funcionária do Banco do Brasil, Léa Albuquerque.


“Isso fere o Código de Ética do próprio Banco do Brasil e demonstra que o modelo de cumprimento de metas do BB continua degradando as condições de trabalho dos funcionários”, avaliou o presidente do Sindicato dos Bancários, Carlos Eduardo Bezerra. Ele completa: “há uma quebra de ética, há um abuso na cobrança de metas e qualquer situação de comunicação interna do banco tem que se dar durante o horário de expediente. Ao não fazer isso, o banco está desrespeitando a jornada do bancário e tirando-o do seu lazer, da sua família, dos seus outros interesses que são totalmente distintos do seu contrato de trabalho”, finaliza.

ORIENTAÇÃO – O Sindicato orienta aos funcionários que, porventura, vierem a receber ou estão recebendo esse tipo de cobrança, que não apaguem as mensagens e procurem o Sindicato, pois a entidade está averiguando todas as denúncias. “Além de tudo, vamos cobrar esclarecimentos da Super/BB sobre essas denúncias. Essa postura é totalmente abusiva, pois o funcionário está em casa, fora do horário de trabalho, altas horas da noite e recebe mensagens no celular pessoal, pago por ele, cobrando cumprimento de metas? Não vamos permitir isso”, conclui Léa.