Sindicato denuncia golpistas e ameaças aos direitos dos trabalhadores

6


Dando continuidade ao projeto Caravana em Defesa dos Direitos Trabalhistas e das Empresas Públicas, criado pelo Sindicato dos Bancários do Ceará para alertar os bancários e a sociedade sobre as ameaças postas em prática pelo governo golpista do interino Michel Temer, foi realizada manifestação na quarta-feira (22), na agência Parangaba, da Caixa Econômica Federal, em Fortaleza.


Os diretores do Sindicato denunciaram, em suas falas, as perdas já impostas pelo governo interino, como a mudança no tempo necessário para aposentadoria dos trabalhadores.  Pelo novo projeto, aumenta para 65 anos a idade mínima para se aposentar.  Temer quer ainda desvincular o reajuste do salário mínimo ao salário do INSS. O que representa só perdas.


Segundo Túlio Menezes, diretor do Sindicato e empregado da Caixa, “a entidade, diante dessa realidade exposta, denuncia o processo de privatização das estatais, a terceirização com precarização do trabalho, o ataque à CLT para acabar com conquistas históricas como férias, 13º, seguro desemprego, e ainda ao Pré-sal, cujos recursos estão previstos para investimentos na educação e na saúde”.


“Além disso, tem a ameaça de privatização do patrimônio público brasileiro, por exemplo da Caixa Econômica Federal, ameaçada de abertura de capital, fusão com o Banco do Brasil, numa clara intenção de entregar esse patrimônio ao capital estrangeiro”, denunciou Rochael Almeida, diretor do Sindicato e bancário da Caixa.


Para Bosco Mota, diretor do Sindicato e funcionário do Banco do Brasil, “a coisa é simples: o povo precisa se unir ao Sindicato e defender o patrimônio público brasileiro, como a Caixa. O golpista, os empresários e os meios de comunicação já começam a atacar as instituições e os cidadãos. Todo trabalhador precisa ir pra rua, lutar pela manutenção dos seus direitos”.