Sindicato denuncia irregularidades à Ouvidoria e cobra respostas

6


O Sindicato dos Bancários do Ceará, através de informações e apurações realizadas junto aos funcionários do Banco do Brasil, denuncia novamente ao ouvidor interno do BB, em visita à Fortaleza durante esta semana, as diversas irregularidades que chegaram ao conhecimento da entidade.


De acordo com os diretores do Sindicato, as mais diversas denúncias são encaminhadas em todos os fóruns possíveis, inclusive para a ouvidoria interna, porém nem sempre chegam as notícias da devida apuração.


O Sindicato tem conhecimento de casos como:


1. Não comissionamento de funcionários grevistas.


2. Apuração de faltas graves de gerentes assediadores com processos muito longos e que, mesmo com denúnicias graves chegam até a ser promovidos.


3. Denúncias de ex-superintendente do BB não devidamente apuradas.


4.  Uso de poder coercitivo para o atingimento de metas – mesmo burlando normas e envolvendo uso indevido de recursos públicos.


Um dos casos mais graves é o de gerentes denunciados pelo Sindicato por condutas irresponsáveis, cujos processos duraram até três anos, mas que durante esse período, mesmo com as denúncias, foram promovidos, sofrendo punição apenas ao final do processo.


Outro caso que também ficou sem qualquer apuração foi o do ex-superintendente que, antes de se aposentar, denunciou em uma carta bomba endereçada à direção do BB, várias irregularidades que aconteciam dentro do banco. Ele relata, inclusive, que estava se aposentando por não aguentar mais a pressão e que muitas vezes era forçado a fazer avaliações tendenciosas levando alguns funcionários a também se aposentarem ou receberem punições indevidas. Tudo com o aval da Super-CE. O processo judicial ainda está em curso, porém o BB nunca se pronunciou sobre os fatos.


Tudo isso têm dado ao Banco do Brasil um título nada agradável: uma pesquisa de clima organizacional feita pelo próprio banco apontou o Ceará como o terceiro pior clima para se trabalhar no Brasil.


Funcionários não devem temer nem se calar!

O Sindicato orienta que casos de irregularidades cometidas dentro da agência sejam imediatamente comunicados à ouvidoria, aos diversos canais do Banco do Brasil e, principalmente ao Sindicato dos Bancários.


A entidade pode lançar mão do Protocolo de Prevenção de Conflitos no Ambiente de Trabalho, mecanismo de combate ao assédio moral previsto na Convenção Coletiva dos Bancários, do qual o Sindicato é signatário.


“Nós queremos cobrar que a Ouvidoria Interna do Banco do Brasil cumpra o seu papel: ouça, apure, encaminhe as denúncias para não deixar os bancários sem resposta. De nossa parte, destacamos que vamos continuar denunciando as irregularidades e cobrando da Super/BB as devidas providências”

José Eduardo Marinho, diretor do Sindicato e funcionário do BB