Sindicato e BB discutem modelo digital no Ceará

8


No dia 25/10 estiveram reunidos, na sede do Sindicato dos Bancários do Ceará, diretores da entidades, funcionários do BB e representações da Gepes e Super no Ceará para discutir a implantação do modelo digital do BB no Estado. Pelo Sindicato, estiveram os diretores José Eduardo Marinho, Plauto Macedo, Jannayna Lima, Bosco Mota e Ricardo Dantas. Pelo BB, o representante da Gepes, Valdemar Neves e a representante da Super, Auryleidi Barros.


O Sindicato havia manifestado preo-cupação quanto à localização do novo prefixo do banco, pretendido inicialmente para a Rua Barão do Rio Branco. Porém, o local foi revisto para o prédio da Praça do Carmo, onde já existem várias unidades do banco e é um local mais seguro quanto à localização, pois alguns funcionários trabalharão em horário estendido. O prazo de instalação, muito citado em conversas do Sindicato com os funcionários do BB em Fortaleza – prazo esse que o BB afirmou está trabalhando para começar no novo ambiente em 21/11, com uma estrutura de duas plataformas PF e uma MPE. No tocante à seleção, o BB afirmou haver feito abertura de processo, entrevistas e qualificação do público já selecionado em prazos diferentes da greve.


Também foi abordada na reunião a concorrência dos assistentes de negócio que têm jornada de 8h, mas que, por decisão judicial ganha pelo Sindicato (função 4940), trabalham apenas 6h sem redução de salário. O BB afirmou que os funcionários nessa condição poderão concorrer normalmente e, se removidos, irão por lateralidade sem perder os efeitos da decisão judicial, isto é, não terão prejuízos em seus vencimentos.


O Sindicato continuará atento ao novo modelo de atendimento para que esse não desrespeite os direitos da categoria.


Exame periódico – Um ponto em comum de atenção ao Sindicato e ao banco foi a realização do exame periódico. O banco vê com muita preocupação a negativa que alguns funcionários têm dado à realização dos exames – e o pior – a falta de realização em vários anos. O Sindicato orienta que os funcionários façam seus exames – no horário do expediente e sempre utilizando a guia própria da Cassi (quem paga por isso é o empregador). A saúde sempre em primeiro lugar – precisamos conscientizar todos sobre essa cultura da saúde. O Sindicato também ponderou sobre as agências pequenas e as dificuldades de alguns funcionários realizarem seus exames – fato que o banco se comprometeu em tentar sanar esses problemas para que todos possam realizar seus exames.


Verba QVT – O banco afirmou que a verba já voltou a ser passível de utilização, tendo inclusive um novo rol de serviços para os quais a verba pode ser utilizada. O Sindicato orienta que todas as dependências utilizem a verba – para promoção de atividades que melhorem a condição dos trabalhadores.