Sindicato exige o cumprimento de direitos do funcionalismo

34

Diretores do Sindicato dos Bancários do Ceará (SEEB/CE) estiveram reunidos, dia 16/1, com o representante da Superintendência do Banco do Brasil, Luiz Antonio Schubert, e com a gerente regional da Gestão de Pessoas (GEPES) do BB, Idée Maria de Paula, na sede da GEPES, em Fortaleza, durante a primeira reunião de negociação do ano, ocasião em que exigiram o cumprimento de direitos conquistados pelos funcionários. Na pauta, ainda, temas como as dificuldades para realizar os exames periódicos, comissiona-mentos e o problema da água potável nas agência, além das condições de trabalho. De acordo com o Sindicato, as maiores problemáticas surgiram em unidades do Interior.


Em relação a exames periódicos de saúde e auxílio-deslocamento, o Sindicato cobrou que, nos casos que necessitem de especialistas médicos em outras localidades, os gastos com deslocamento sejam garantidos. A Super e a Gepes informaram que esse procedimento é orientação da direção nacional. Já o tema da água potável ficou a ser novamente discutido na próxima reunião, marcada para o dia 3/2.

ENCONTRO – Os dirigentes sindicais do Banco do Brasil definiram, em reunião nos dias 8, 9 a 10/12, em São Paulo, a pauta de reivindicações para a mesa permanente e para o XX Congresso de Funcionários do BB, a ser realizado no primeiro semestre deste ano.


Foram deliberadas cinco mesas temáticas, que deverão ser concluídas até o dia 15/3: PCCS (deverá tratar da formulação de uma proposta que aponte para uma carreira por tempo de trabalho e crescimento por mérito. Apontar os critérios de comissionamento e ascensão profissional. Volta do pagamento das substituições com o fim da lateralidade); Saúde (buscar uma proposta que garanta a prevenção ao adoecimento provocado pelas más condições e stress no ambiente de trabalho, além de discutir questões relacionadas à Cassi); Previdência (Previ, Fusesc, PREVBEP, Economus); Fusões e incorporações (BEP, BESC, Nossa Caixa e Votorantim) e Terceirização (diminuir a precarização das condições de trabalho).