Sindicato intensifica mobilização com encenação de cordel nas agências de Fortaleza

9


As mobilizações dentro da Campanha Nacional dos Bancários 2015, promovidas pelo Sindicato dos Bancários do Ceará, continuaram na quarta-feira, dia 9/9, quando dirigentes sindicais e manifestantes entraram nas agências da Av. Bezerra de Menezes, com o grupo Trup Tramas de Teatro apresentando um cordel com o tema “Os 7 Pecados do Capital”. Clientes e bancários puderam conferir a encenação da peleja entre o bem e o mal, com dois personagens: o banqueiro (o Diabo) e a categoria bancária (o Santo).


O tom lúdico da encenação conseguiu a atenção de todos e despertou à reflexão para os principais pontos da Campanha Nacional dos Bancários deste ano, tais como mais contratações, remuneração justa, melhores condições de trabalho, mais saúde e segurança, fim do assédio moral, fim das metas abusivas, entre outras.


Em suas intervenções, os diretores do Sindicato anunciam que essa forma lúdica de apresentar a pauta de reivindicações dos bancários, é um meio de dialogar com a clientela dos bancos e com a própria categoria. É uma forma de conscientizar a todos, mostrando a realidade que os bancários vivem no seu cotidiano, a pressão feita pela ganância dos banqueiros e o assédio moral disseminado dentro das agências.


Destacaram, ainda, a possibilidade de haver greve e se ela acontecer, não é responsabilidade dos bancários, mas sim irresponsabilidade dos donos dos bancos, que aumentam suas fortunas, em detrimento de atender bem seus clientes e dar condições de trabalho aos funcionários: são desumanos. Dialogando e querendo contar com a compreensão da sociedade, caso a greve ocorra, os diretores do Sindicato informaram que após quatro rodadas de negociações, os banqueiros e governo esnobaram as reivindicações da categoria. A hora é de intensificar a mobilização, disseram.


Na próxima semana, as mobilizações promovidas pelo Sindicato vão continuar e desta vez serão no corredor bancário da Aldeota.


CORDEL

A PELEJA DO GUERREIRO DO BEM PARA DERROTAR OS 7 PECADOS DO CAPITAL


Preste atenção pessoal

Na história que vou contar

Para não entender mal

E depois se assustar

O que parece igual

Tem que diferenciar

Pois açúcar não é sal

Mas a cor dá pra enganar


Um papa medieval

Decretou para os fiéis

Que pecado capital

Sempre traz algum revés

Nada, porém, de anormal

Ficam os dedos e os anéis

Perdoar é natural

Desde que mudem os papéis


Por que você tá falando

Aqui na minha agência?

Quem lhe passou o comando?

Você não tem competência

Passa a vida volitando

Tá sempre em diligência

A tudo vai perdoando

Com a maior indulgência


Esse papa do passado

Era muito angelical

Seu olhar ultrapassado

É por demais fraternal

Quem entende de pecado

E tem fúria animal

Sou eu por ter inventado

Os pecados do capital


Tou surpreso, mas altivo

E falo pra quem chegou

Estou aqui investido

Com muito orgulho e amor

Poder me foi conferido

Por todo trabalhador

Que sofre e é perseguido

Mas não perde o seu valor


Ninguém aqui se intromete,

Pois meu papel é legal,

Capataz, vai lá e pede

Reforço policial

Pois quem tem grana não cede

Aumenta seu arsenal

E nenhum esforço mede

Prá elevar seu capital


Mentira é especialidade

Do meu cardápio infernal

Irresponsabilidade

Caso com Assédio Moral

Refugo toda verdade

Ganância é meu ritual

No campo e na cidade

Construo meu pedestal


Alto lá! Seu insensato

Aqui não se pede arrego

Vai ter que honrar o contrato

Não abro mão do Emprego

Salário atualizado

Não lhe tira desse enredo

Vai ter que pagar dobrado

PL e Décimo Terceiro


Mas que petulância é essa?

Coisa assim nunca vi não

Em você prego uma peça

Sim à Terceirização

Não há ninguém que impeça

Faço Discriminação

Gasto dinheiro à beça

Pratico a Ostentação


Bancários aqui presentes

Não caiam nessa lorota

Falo também aos clientes

O que ele diz não importa

Segurança é urgente

Basta de Metas impostas

Uma atitude valente

Fará ganhar nossa aposta


Quem pensam vocês que são

Pra reverter o sinal?

Pois é muita presunção

Quem o bem ganhe do mal

Prevalecendo a razão

Do dólar e do real

Forças também ganharão

Os pecados do capital


Ouvindo tal opereta

Bufa e sem maestria

Distribuo essas cornetas

Pra vocês com valentia

Calarem a voz do capeta

Que a todos assedia

Vamo acabar com a mutreta

Exigir Cidadania