Sindicato intensifica mobilização com encenação de cordel nas agências de Fortaleza

34


As mobilizações dentro da Campanha Nacional dos Bancários 2015, promovidas pelo Sindicato dos Bancários do Ceará, continuaram na quarta-feira, dia 9/9, quando dirigentes sindicais e manifestantes entraram nas agências da Av. Bezerra de Menezes, com o grupo Trup Tramas de Teatro apresentando um cordel com o tema “Os 7 Pecados do Capital”. Clientes e bancários puderam conferir a encenação da peleja entre o bem e o mal, com dois personagens: o banqueiro (o Diabo) e a categoria bancária (o Santo).


O tom lúdico da encenação conseguiu a atenção de todos e despertou à reflexão para os principais pontos da Campanha Nacional dos Bancários deste ano, tais como mais contratações, remuneração justa, melhores condições de trabalho, mais saúde e segurança, fim do assédio moral, fim das metas abusivas, entre outras.


Em suas intervenções, os diretores do Sindicato anunciam que essa forma lúdica de apresentar a pauta de reivindicações dos bancários, é um meio de dialogar com a clientela dos bancos e com a própria categoria. É uma forma de conscientizar a todos, mostrando a realidade que os bancários vivem no seu cotidiano, a pressão feita pela ganância dos banqueiros e o assédio moral disseminado dentro das agências.


Destacaram, ainda, a possibilidade de haver greve e se ela acontecer, não é responsabilidade dos bancários, mas sim irresponsabilidade dos donos dos bancos, que aumentam suas fortunas, em detrimento de atender bem seus clientes e dar condições de trabalho aos funcionários: são desumanos. Dialogando e querendo contar com a compreensão da sociedade, caso a greve ocorra, os diretores do Sindicato informaram que após quatro rodadas de negociações, os banqueiros e governo esnobaram as reivindicações da categoria. A hora é de intensificar a mobilização, disseram.


Na próxima semana, as mobilizações promovidas pelo Sindicato vão continuar e desta vez serão no corredor bancário da Aldeota.


CORDEL

A PELEJA DO GUERREIRO DO BEM PARA DERROTAR OS 7 PECADOS DO CAPITAL


Preste atenção pessoal

Na história que vou contar

Para não entender mal

E depois se assustar

O que parece igual

Tem que diferenciar

Pois açúcar não é sal

Mas a cor dá pra enganar


Um papa medieval

Decretou para os fiéis

Que pecado capital

Sempre traz algum revés

Nada, porém, de anormal

Ficam os dedos e os anéis

Perdoar é natural

Desde que mudem os papéis


Por que você tá falando

Aqui na minha agência?

Quem lhe passou o comando?

Você não tem competência

Passa a vida volitando

Tá sempre em diligência

A tudo vai perdoando

Com a maior indulgência


Esse papa do passado

Era muito angelical

Seu olhar ultrapassado

É por demais fraternal

Quem entende de pecado

E tem fúria animal

Sou eu por ter inventado

Os pecados do capital


Tou surpreso, mas altivo

E falo pra quem chegou

Estou aqui investido

Com muito orgulho e amor

Poder me foi conferido

Por todo trabalhador

Que sofre e é perseguido

Mas não perde o seu valor


Ninguém aqui se intromete,

Pois meu papel é legal,

Capataz, vai lá e pede

Reforço policial

Pois quem tem grana não cede

Aumenta seu arsenal

E nenhum esforço mede

Prá elevar seu capital


Mentira é especialidade

Do meu cardápio infernal

Irresponsabilidade

Caso com Assédio Moral

Refugo toda verdade

Ganância é meu ritual

No campo e na cidade

Construo meu pedestal


Alto lá! Seu insensato

Aqui não se pede arrego

Vai ter que honrar o contrato

Não abro mão do Emprego

Salário atualizado

Não lhe tira desse enredo

Vai ter que pagar dobrado

PL e Décimo Terceiro


Mas que petulância é essa?

Coisa assim nunca vi não

Em você prego uma peça

Sim à Terceirização

Não há ninguém que impeça

Faço Discriminação

Gasto dinheiro à beça

Pratico a Ostentação


Bancários aqui presentes

Não caiam nessa lorota

Falo também aos clientes

O que ele diz não importa

Segurança é urgente

Basta de Metas impostas

Uma atitude valente

Fará ganhar nossa aposta


Quem pensam vocês que são

Pra reverter o sinal?

Pois é muita presunção

Quem o bem ganhe do mal

Prevalecendo a razão

Do dólar e do real

Forças também ganharão

Os pecados do capital


Ouvindo tal opereta

Bufa e sem maestria

Distribuo essas cornetas

Pra vocês com valentia

Calarem a voz do capeta

Que a todos assedia

Vamo acabar com a mutreta

Exigir Cidadania