Sindicato mobiliza bancários para greve dia 19/9

16


Dirigentes do Sindicato dos Bancários do Ceará estiveram na terça-feira, dia 10/9, intensificando a mobilização dos funcionários do Banco do Brasil, da agência Praça do Carmo, em Fortaleza, preparando-os para a greve da categoria. Os dirigentes sindicais dialogaram com os companheiros sobre a importância dos bancários mostrarem sua força e sua unidade para enfrentar a intransigência do Governo Federal e dos bancos privados.


“Não resta aos trabalhadores outra alternativa senão a greve. Desde já, contamos com a compreensão da população, pois na intensidade com que os bancários são explorados, os clientes também são, tendo que enfrentar longas filas, pela escassez de bancários, como também pela extorsão no pagamento de altas tarifas e juros”, disse o diretor do Sindicato, Ribamar Pacheco.


Segundo Pacheco, é importante também a adesão dos companheiros do BB à greve fortalecendo nossa luta no sentido de conserguirmos uma proposta decente por parte dos bancos. Para os clientes, esclareceu sobre os motivos da paralisação e orientou-os a se programar. “Nesta semana, dia 19, não terá atendimento nas agências”, completou.


De acordo com o diretor do Sindicato, Bosco Mota, “a greve não é contra a população, mas contra a intransigência do Governo e dos bancos em atender nossas reivindicações. Bancários e a população devem andar de mãos dadas. A convocação é para todos os funcionários do BB, comissionados e não comissionados”.


Segundo o diretor do SEEB/CE, Jefferson Tramontini, “essa proposta da Fenaban de 6,1% é indecente. Os bancos lucram milhões e milhões por dia e oferecem uma proposta que não cobre nem a inflação e nem fala das demais cláusulas da categoria. Nas mesas específicas do BB, Caixa, Banco do Nordeste e Banco da Amazônia a postura do Governo Federal é a mesma. Os bancários querem sua fatia desse bolo. Queremos uma resposta decente para nossas reivindicações. Só a greve forte vai fazer esse Governo e os banqueiros darem uma resposta que atenda nossas expectativas”.