Sindicato paralisa unidade do BB por irregularidades na mesa de crédito

41

  


O Sindicato dos Bancários do Ceará realizou dia 1º/12, uma paralisação em frente ao prédio da Superintendência do Banco do Brasil para protestar contra irregularidades no trabalho dos funcionários convocados para a mesa de crédito. A manifestação arrancou uma negociação com a Superintendência e garantiu o atendimento de reivindicações dos trabalhadores.


No último dia 12/11, o Sindicato constatou irregularidades na mesa de crédito no prédio da Superintendência do BB. Os diretores Bosco Mota e José Eduardo, além do presidente do SEEB/CE, Carlos Eduardo Bezerra, presenciaram o flagrante desrespeito das normas de trabalho. Na ocasião, os diretores observaram o descumprimento de normas internas e de itens da norma regulamentadora (NR-17). Além disso, os funcionários estavam trabalhando sem ar condicionado e o calor era insuportável. “É um absurdo. Além de trabalhar de forma irregular, os funcionários ainda têm de fazer uso de aparelhos de ventilador espalhando poeira para todos os lados”, comentou Bosco Mota.


O Sindicato dos Bancários realizou reunião com os funcionários no mesmo dia e recebeu várias denúncias. Entretanto, a mesa de crédito continuou a funcionar de forma irregular.


A direção do SEEB/CE encontrou no funcionamento da mesa de crédito riscos de saúde para os trabalhadores, além de riscos legais e laborais: não há cumprimento da NR-17 que versa sobre call-center; não são fornecidos equipamentos essenciais ao atendimento telefônico (head-set) nem há SESMT nem CIPA informada para acompanhar o que seria necessário para o funcionamento legal; descumprimento da Súmula 113/TST com Art. 224/CLT; descumprimento do decreto 27048/49, regulamentando a lei 605/49; ranqueamento (proibido pela CCT 2011/2012), além de ligações não gravadas.

Reunião – A pressão do Sindicato na porta da Super surtiu efeito e o presidente Carlos Eduardo, acompanhado dos diretores Gustavo Tabatinga e José Eduardo, participou de uma reunião com o Banco, durante o protesto, que garantiu aos trabalhadores o atendimento da maioria das reivindicações.


“O Sindicato agiu prontamente frente às denúncias. O banco chamou para a negociação e assumiu o compromisso de comunicação prévia ao SEEB/CE, além de fornecer todos os equipamentos necessários ao trabalho de call-center”, afirmou. Ele ressaltou ainda a valorização do diálogo na resolução das pendências do funcionalismo.


O Sindicato ressalta que, em casos de abusos e irregularidades de qualquer espécie, os funcionários devem procurar os diretores:


José Eduardo (85) 9155 8330


Bosco Mota (85) 9155 4822


Gustavo Tabatinga (85) 9153 1235


Carlos Eduardo (85) 9155 4439


Plauto Macedo (85) 9155 5945