Sindicato pede suspensão generalizada do CDC, mas diretoria do BNB nega

32


Em ofício encaminhado à Diretoria do Banco do Nordeste do Brasil (BNB) no último dia 11 de julho o Sindicato dos Bancários do Ceará solicitou a suspensão generalizada de pagamento de parcelas do Crédito Direto ao Consumidor (CDC), contraído por funcionários e aposentados, tendo em vista o aperto financeiro a que estão submetidos os trabalhadores bancários cujo último reajuste salarial ocorreu há 11 meses.


Em resposta à reivindicação feita pelo Sindicato, a Diretoria do Banco do Nordeste negou o pedido, alegando já existirem desde 2016 regras para renegociação/reescalonamento de dívidas com clientes pessoas físicas. Essas regras, segundo a diretoria de Planejamento do BNB, permitem aos funcionários ativos e aposentados a definição de novo esquema de pagamento de prestações do CDC, inclusive, carência de até três meses para o reinício de pagamento em alguns casos.


De acordo com ofício assinado pela Superintendência de Planejamento do Banco e que chegou ao Sindicato no último dia 26 de julho, o pedido de renegociação/reescalonamento do CDC pode ser realizado a qualquer tempo pelo funcionário e aposentado do BNB direto na sua agência de relacionamento. A diretoria do Banco acrescenta considerar que a Instituição já dispõe de mecanismo normativo que pode ser demandado individualmente pelos interessados junto ao gerente de sua agência e por isso não acata o pedido de suspensão generalizada de parcelas vencíveis do CDC.


Empréstimo de férias – Quanto ao pedido de suspensão por três meses da cobrança das prestações dos empréstimos para férias, a Superintendência de Desenvolvimento Humano informou a aprovação, no último dia 18 de julho, da reivindicação também feita pelo Sindicato. Dessa forma, as parcelas do empréstimo de férias nos meses de agosto, setembro e outubro, serão suspensos, exceto para os funcionários que manifestarem o desejo de continuar quitando as prestações do empréstimo normalmente.