Sindicato quer mobilização de todos para fortalecer o BNB e acabar com a corrupção

14

No último dia 18/7, na Praça Jader Colares, sede administrativa do BNB, no Passaré, o Sindicato dos Bancários do Ceará realizou mais uma manifestação em defesa do Banco e reiterou sua posição pela substituição imediata dos quatro diretores da gestão Roberto Smith que ainda permanecem ocupando cargos na direção da Instituição.


O protesto aconteceu na véspera da data da comemoração dos 60 anos do Banco e, para lembrar a data, o Sindicato distribuiu bolo de rolo simbolizando a enrolação do governo na condução da apuração das denúncias e do afastamento de toda a diretoria e como forma de resgatar a auto-estima dos funcionários no transcurso do aniversário da instituição.


“Nós estamos aqui em defesa do Banco, porque nós só teremos funcionalismo forte se nós tivermos um Banco do Nordeste forte e, para isso, é necessário que passemos esse Banco a limpo e para isso, estamos mais uma vez aqui ratificando o pedido de que a presidenta Dilma pare de enrolar e resolva essa situação constrangedora dentro do BNB”, afirmou a diretora do Sindicato, Carmen Araújo. Ela complementa lamentando a situação do Banco em pleno aniversário de 60 anos. “A nossa tristeza é muito grande porque todos os dias o BNB está nas páginas dos jornais, das revistas, com denúncias de desvios, fraudes. Nós gostaríamos de ver o BNB na mídia, mas dizendo que ele é importante para a sociedade brasileira, mas com essa diretoria, isso não está sendo possível. Queremos um BNB forte, exercendo seu papel de desenvolver o Nordeste. Lamentamos essa situação, mas não podemos ficar de braços cruzados. Temos que sair em defesa do nosso BNB”, concluiu.


O diretor do Sindicato, Robério Ximenes, conclamou os funcionários à luta. “Temos que comemorar esses 60 anos do Banco com luta, porque nunca vi trabalhador ganhar nada se não for lutando. Estamos na luta para que saiam esses malfeitores, não dá para tirar só parte da diretoria e deixar o restante continuando o trabalho dos que lá estavam. Essas irregularidades têm de ser investigadas, mas para que isso seja feito com isenção, todos esses diretores têm que estar fora de seus cargos”, disse.


Tomaz de Aquino, coordenador da Comissão Nacional dos Funcionários do BNB (CNFBNB), enfatizou que a probidade é um dos principais atributos para ser dirigente do Banco. “Para dirigir essa instituição, não basta ser competente, tem que ser honesto. A imprensa não para de divulgar escândalos e ainda continuam vários integrantes da diretoria denunciada por essas irregularidades. Nós não podemos nos calar diante disso”, afirmou ressaltando que, mesmo em época terríveis pelas quais passou o BNB, os funcionários nunca enfrentaram tamanhas denúncias.


Ele ressaltou ainda a importância da mobilização do corpo funcional em defesa do BNB, porque o rombo dessas fraudes pode ser usado como desculpa para não atender à reivindicações dos trabalhadores na campanha salarial que se avizinha. “Vão dizer que não houve lucro e que o Banco não vai poder pagar a nossa PLR, o nosso aumento real, não melhorar o nosso piso e nós não podemos ficar passivos diante dessa situação”.