Sindicato realiza assembleia dia 27/4 para debater pauta da mesa permanente

13

O Sindicato dos Bancários do Ceará convoca todos os empregados da Caixa Econômica a participarem da assembleia que se realiza dia 27/4, às 19h (terça-feira) na sede da entidade (Rua 24 de maio, 1289, Centro), para tratar das questões que hoje envolvem as negociações permanentes. Os empregados terão oportunidade, na assembleia, de se manifestar fazendo uma grande mobilização para que a Caixa possa, realmente, atender aos pontos que estão em mesa permanente.


No último dia 15/4, a Contraf-CUT e a Comissão Executiva dos Empregados (CEE/Caixa) se reuniram com representantes da direção da Caixa Econômica Federal, como parte da mesa permanente de negociação, mas sem avanços. Na avaliação do diretor do SEEB/CE, Marcos Saraiva, representante da FETEC na CEE/Caixa, a postura da Caixa foi desrespeitosa.


“A Caixa não apresentou proposta para nenhum quesito abordado pela Comissão de Empresa. Diante desta forma truculenta e intransigente de tratar a representação dos empregados, vamos realizar uma assembleia para discutir os rumos da mesa de negociação com a Caixa, realizando ações jurídicas e políticas e fortalecendo a Campanha Fora Maria Fernanda. Só com intensa mobilização é que os empregados podem ter o retorno do respeito da direção da empresa”, completa Marcos Saraiva.

ESTÃO NA MESA DE NEGOCIAÇÃO PERMANENTE OS SEGUINTES PONTOS:

REESTRUTURAÇÃO – Na última negociação a Caixa informou apenas que o cálculo está sendo conduzido pela vice-presidência de Pessoas (Vipes), e será concluído até o dia 1º/6. Somente a partir daí seria possível dar a informação. José Durval dos Reis, representantes da Caixa, informou também que o início efetivo do processo de reestruturação está marcado para o dia 1º/7.

PLANO DE FUNÇÕES GRATIFICADAS (PFG) E JORNADA – Também não houve avanços nas negociações sobre o Plano de Funções Gratificadas (PFG). Segundo os representantes da Caixa, o plano voltou a ser avaliado pelo Ministério da Fazenda (MF) e pelo Ministério do Planejamento, a fim de adequar as exigências dos funcionários ao orçamento da União. Quanto à redução de jornada de oito para seis horas, a Caixa não retrocedeu.

NORMATIVOS DOS PLANOS DE SAÚDE – Em 2007, a Caixa efetuou uma mudança unilateral em dois dos normativos, sobre a licença saúde e sobre os acidentes de trabalho. Como tais alterações não foram discutidas e sequer comunicadas, a CEE/Caixa não as reconhece. A Caixa, por sua vez, não acenou com a possibilidade de mudanças.

PLANO DE CARGOS E SALÁRIOS – O banco afirmou que o pagamento da promoção iria depender de como fossem feitas as negociações do PFG e da jornada e como isso deixaria o caixa da empresa para, somente depois, se posicionar sobre o pagamento das promoções.