SINDICATO REALIZA LIVE NAS REDES SOCIAIS PARA DEBATER A PANDEMIA DO CORONAVÍRUS

35


Em tempos de pandemia do novo coronavírus, pela primeira vez em seus 87 anos de existência, o Sindicato dos Bancários do Ceará realizou na última sexta-feira, dia 22/5, através do Facebook e do Youtube da entidade, uma live para debater a pandemia da Covid-19 e suas consequências para a categoria bancária.


Participaram desse evento o presidente do Sindicato, Carlos Eduardo, o secretário de Imprensa e membro do Comando Nacional dos Bancários, José Eduardo Marinho e o secretário de Saúde, Eugênio Silva. Os dirigentes abordaram temas como o pagamento do auxílio emergencial, defesa dos bancos públicos, atendimento aos bancários durante a pandemia, campanha salarial, entre outros temas de interesse da categoria. O presidente da APCEF/CE, Rochael Almeida, também iria participar da live, mas teve problemas na sua internet.


O presidente do Sindicato, Carlos Eduardo, iniciou a live falando da situação do Brasil durante a pandemia. Recentemente, a Organização Mundial de Saúde (OMS) passou a considerar o país como um dos epicentros da doença. “Além disso, temos ainda de enfrentar um verdadeiro ‘desgoverno’ que minimiza a gravidade da doença, agravando a situação do Brasil”. Ele completou: “Se não fossem as atuações dos governos estaduais, o número de vítimas e de óbitos seria muito maior. Há dois meses, eram 18 mortes, hoje já passamos de 20 mil e o presidente se omite de sua responsabilidade com relação a essa pandemia”, finalizou Carlos Eduardo, que conduziu os debates.


AUXÍLIO EMERGENCIAL – Os dirigentes do Sindicato enfatizaram que, desde as primeiras discussões a respeito da concessão do auxílio emergencial, fizeram o alerta da necessidade de se descentralizar o processo, pois como ele está sendo conduzido, com tudo centralizado na Caixa, inevitavelmente, haveria – como está acontecendo – aglomerações nas agências da Caixa Econômica Federal. “Os empregados da Caixa são verdadeiros heróis por atenderem cerca de 50 milhões de pessoas em todo o país”, avalia o diretor José Eduardo Marinho.


O dirigente destaca ainda que o Sindicato fez a sua parte, colocando carros de som esclarecendo a população, distribuindo panfletos nas agências para conscientizar a população da importância do isolamento social, de seguir as determinações dos órgãos de saúde e levando o tema das aglomerações, de forma recorrente, para as reuniões do Comitê de Crise dos bancários com a Fenaban.


DEFESA DOS BANCOS PÚBLICOS – Os bancários abordaram ainda a importância de se defender os bancos públicos. Os dirigentes lembraram da crise econômica mundial em 2008, quando os bancos públicos exerceram papel fundamental para que o país enfrentasse a crise. “Mais do que nunca é preciso fortalecer e defender os bancos públicos que estão desempenhando durante a pandemia um papel social fundamental e serão também importantíssimos no período pós-pandemia, no que se refere à recuperação da nossa economia”, destacou José Eduardo.


CAMPANHA SALARIAL – Os dirigentes destacaram ainda que, esse ano, a categoria bancária enfrentará um importante desafio: a Campanha Nacional dos Bancários. A CCT da categoria tem vigência até o dia 31/8 e garante todos os direitos da categoria até essa data. Durante a pandemia, a negociação coletiva conquistou vitórias como home office, garantia de emprego, condições de trabalho, entre outras. “Temos esse desafio diante do governo Bolsonaro e da pressão constante pela retirada de direitos dos trabalhadores e nós precisamos nos mobilizar da melhor forma possível para conquistar a manutenção de todos os nossos direitos”, afirmou o presidente Carlos Eduardo.


SAÚDE – O secretário de Saúde, Eugênio Silva, destacou que o Sindicato tem priorizado em suas ações, primeiramente, a saúde da categoria. Ele ressaltou como positiva a decisão do Supremo Tribunal Federal (STF) em anular o artigo 29 da MP 927, que excluía o coronavírus como doença ocupacional, exceto se o trabalhador comprovasse que havia contraído o vírus no ambiente de trabalho. Com reconhecimento do nexo causal da Covid-19, o Sindicato criou o Plantão de Saúde do Bancário que tira dúvidas da categoria e garante a emissão da CAT para as doenças ocupacionais através do teleatendimento (85 99155 2428). O plantão funciona de segunda a quinta, das 9h ao meio dia.


“Nós também estamos reativando o Plantão Psicológico para ajudar os bancários nesse período de pandemia. Há dez anos, o índice de adoecimento da categoria era relativo às Ler/Dort, hoje são, em sua maioria, doenças psicológicas. E nesse período de pandemia, certamente os bancários estão enfrentando um nível de stress muito grande”. (Veja mais em matéria na pág. 7).


Quem não pôde assistir e desejar ver a live na íntegra, ela está disponível no Youtube (www.youtube.com/SEEBCE) ou no Facebook (facebook.com/bancariosce).