Sindicato realiza passeio cultural e religioso ao Maciço de Baturité

12

  

O Sindicato dos Bancários do Ceará realizou no feriado da Sexta-feira Santa, dia 6/4, um passeio religioso e cultural à região do Maciço de Baturité, passando por Guaramiranga e voltando por Pacatuba, para assistir a tradicional encenação da Paixão de Cristo do município. Participaram do passeio cerca de 300 pessoas, incluindo bancários e seus familiares, distribuídas em seis ônibus, com todas as despesas pagas pelo Sindicato.


“O Sindicato dos Bancários inova mais uma vez e estabelece uma política de aproximação com a categoria além dos temas organizativos, de segurança, de emprego, de remuneração, de campanha salarial, também tratando de cultura e lazer. Cerca de 300 pessoas, mais de 150 bancários participando desse passeio oferecido pela entidade, que vêm conhecer a cidade histórica de Guaramiranga, com todos os seus espaços turísticos, mas também confraternizar com o bancário e refletir junto com a sociedade as virtudes da reflexão religiosa da Paixão de Cristo, que acontece em Pacatuba e que também já é tradicional em nosso Estado. Nosso objetivo é esse, na perspectiva de aproximar o bancário do Sindicato, aproximar bancários de vários bancos para percebermos que a vida desses bancários não é diferente de um banco para outro. É importante a luta, e o Sindicato é um espaço para fazer isso, mas não é um espaço apenas de lutar pelo pão, mas também de flores”, avalia o presidente do Sindicato dos Bancários, Carlos Eduardo Bezerra.


Em Guaramiranga, os bancários visitaram a Reserva Handara, com visita ao museu e várias atividades dentro da reserva ambiental. Em seguida, logo após o almoço, os bancários puderam passear pelo centro histórico do município.

“Acho uma iniciativa de confraternização e de reflexão, proporcionando para nós um momento de lazer, de contato com a natureza, nos tirando um pouco da rotina do trabalho, colocando-nos numa situação diferente, onde podemos conhecer outras pessoas, relaxar, e acredito que no final, o momento de reflexão espiritual com a Paixão de Cristo e é muito bom fazer isso em meio a colegas, proporcionando ainda bons momentos em família. Acho que o Sindicato foi muito feliz em ter proporcionado este passeio, pois estreita nossos laços com a entidade”, analisou o bancário do BNB, Frederico Régis Pereira, que levou a família para o passeio.


Em Pacatuba, os participantes do evento puderam conferir a 38ª edição da Paixão do Cristo do município, num momento de fé e emoção. A peça é uma iniciativa da Prefeitura do Município e conta com uma equipe de 300 profissionais. Dentre eles, 180 fazem parte do elenco, como atores e figurantes, que ensaiaram desde o mês de janeiro para retratar, com o máximo de emoção e realismo, a morte e ressurreição de Jesus Cristo. A primeira apresentação da Paixão de Cristo de Pacatuba aconteceu no ano de 1974 com a participação de pessoas da própria comunidade. Em 2008, foi considerada ponto de cultura do Estado, recebendo uma verba de R$ 180 mil para três anos destinados à capacitação do elenco.


Para Ícaro Nunes, que interpreta o mau ladrão na encenação, participar da Paixão de Cristo é uma emoção muito grande. “Ano passado, interpretei Judas e já fiz também o apedrejador da mulher adúltera, mas participar da peça é sempre uma emoção diferente”, disse.


Já Glauco Lucena, que fez o papel de Jesus Cristo, interpretou Jesus pela sexta vez, mas a primeira em Pacatuba. “Me sinto um privilegiado em fazer esse papel. Apesar de ser a sexta vez, é sempre muita emoção, a cada ano. As pessoas acham que é fácil para mim por ser a sexta vez, mas é preciso entender e transmitir a mensagem de Jesus cada vez melhor para fazer um trabalho bem feito”, concluiu.