Sindicato reivindica compensação do dia 23/10 durante sessão solene

16

A sessão era para comemorar os 200 anos do Banco do Brasil e os 95 anos de instalação da sua primeira agência em Fortaleza, mas acabou sendo uma oportunidade para o Sindicato dos Bancários demonstrar sua insatisfação com o enquadramento dado pelo banco à greve do dia 23/10. Durante a solenidade ocorrida no dia 19/11, na Assembléia Legislativa do Ceará, os diretores do SEEB/CE entregaram documento ao vice-presidente do BB, Luís Oswaldo, solicitando a requalificação da falta.

No ofício, os diretores requereram que a falta seja classificada com caracterização de exercício de greve, sem reflexos para a vida funcional (carreira) dos empregados e com compensação das horas referentes a esse dia pelo mesmo critério convencionado na CCT 2008/2009 para os outros dias da greve, obedecendo o acordado na cláusula 46.


Durante o evento, o deputado estadual Nelson Martins destacou o empenho do corpo funcional do BB como fundamental para o êxito do banco durante esses 200 anos. Ele lembrou ainda dos inúmeros Planos de Demissões Voluntárias (PDV) e os classificou como inversão de valores. “Episódios como as demissões dos anos 1990 devem ser banidos do Banco do Brasil”.


O presidente do SEEB/CE, Marcos Saraiva, afirmou que “o Sindicato dos Bancários reconhece a importância do Banco do Brasil. Por outro lado, exige que o banco reconheça o esforço dos funcionários, dando-lhes melhores condições de trabalho e valorização profissional”.