Sindicato retarda expediente no Edifício Sede em protesto contra más condições de trabalho

9


O Sindicato dos Bancários do Ceará e a Apcef/CE retardaram o expediente no Edifício Sede da Caixa na manhã da sexta-feira, 13/3, por conta da reincidência dos problemas nos elevadores do prédio, que se encontram sem as mínimas condições de uso. Mais de mil pessoas trabalham no prédio, entre empregados e terceirizados.


Temendo ficar presos nos elevadores, vários empregados e terceirizados estão utilizando as escadas. O problema é que o prédio tem 17 andares e quem trabalha nos andares mais altos, acaba tendo que esperar para usar os elevadores, mesmo sabendo do risco.


Desde a terça-feira, dia 10/3, apenas um dos três elevadores estava funcionando, e assim mesmo, precariamente. Diversos bancários e terceirizados ficam presos nos elevadores constantemente e, a partir da demanda da insatisfação dos trabalhadores, o Sindicato solicitou a antecipação da primeira reunião do Fórum Regional de Condições de Trabalho, com o intuito de sanar os problemas referentes à acessibilidade do Edifício Sede.


Durante a reunião, com a participação de diretores do Sindicato e da Apcef/CE, e representantes da Gipes (Pessoal), Cerat (Telemarketing), Giret (Recuperação de Crédito), Gilog (Infra-estrutura) e Gelog (Gerência Nacional de Logística), a representação dos trabalhadores firmou compromisso com a Caixa onde a mesma se compromete a colocar os elevadores em plenas condições de uso até o início da semana.


Os trabalhadores reivindicam a contratação de assessoristas nos elevadores; flexibilização ou abono do ponto por conta da demora para se conseguir chegar ao local de trabalho e estação de trabalho no térreo para que se possa registrar o ponto antes de subir. A representação do banco sugeriu que essa flexibilização fosse feita com cada gestor de unidade, mas o Sindicato e a Apcef rechaçaram a ideia para evitar constrangimentos para os empregados.


No início da semana, foi realizada uma reunião entre as entidades sindicais e a representação dos gerentes de filiais que funcionam no Edifício Sede, para tratar de questões imediatas. Outra reunião do Fórum está marcada para o próximo dia 31 de março para tratar da realocação da Cerat, modernização dos elevadores e realocações internas das unidades dentro do prédio.


O Sindicato lembra que, ano passado, a entidade acionou o Ministério Público do Trabalho, que abriu um termo de ajuste de conduta (TAC) a respeito da questão de alarmes e serviços contra incêndio, problemas com a central de ar condicionado, que funcionava precariamente, além de problemas já referentes aos elevadores.


“Estamos cobrando do banco a urgência em resolver problemas que já foram denunciados ao Ministério Público do Trabalho, mas que a Caixa tem dificuldades de resolver, como essa questão dos elevadores, das condições sanitárias nos banheiros, entre outras demandas que causam dificuldades nas relações de trabalho”
Marcos Saraiva, diretor do Sindicato dos Bancários do Ceará