Sindicato segue firme na luta em defesa dos funcionários da Gecex/BB

9


O Sindicato dos Bancários do Ceará ganhou mais aliados em apoio aos bancários da Gerência Regional de Apoio ao Comércio Exterior (Gecex) do Banco do Brasil. Em audiência pública realizada na Assembleia Legislativa no último dia 9/12, por solicitação dos deputados Lula Morais (PCdoB) e Camilo Santana (PT) – governador eleito do Ceará, ficou encaminhado que a Casa enviará requerimento à direção do BB colocando a preocupação dos diversos setores da sociedade e a posição contrária da Assembleia com relação ao encerramento das atividades do setor no Estado. Durante a audiência, o representante do Centro Internacional de Negócios da Fiec, Eduardo Bezerra, também declarou apoio à causa dos bancários e informou que a entidade deve encaminhar um documento semelhante ao banco.


A audiência foi comandada pelo presidente da Comissão de Orçamento, Finanças e Tributação da Assembleia, deputado Lula Morais, e contou ainda com a presença do deputado Sérgio Aguiar (Pros). O diretor do Sindicato, Gustavo Tabatinga, representou a Fetrafi/NE e o presidente do SEEB/CE, Carlos Eduardo Bezerra também compareceu ao evento.


O presidente do Sindicato, Carlos Eduardo Bezerra, fez um breve histórico sobre o processo de fechamento da Gecex e dos prejuízos para o Estado e para os trabalhadores do banco diante da medida centralizadora do BB. “Queremos deixar claro os prejuízos causados pelo fechamento deste setor. O BB quer centralizar esses serviços no Sul e Sudeste, enquanto que ao mesmo tempo está sendo criada no Ceará a primeira Zona de Processamento de Exportação (ZPE) do Brasil. Isso é, no mínimo, contraditório”, afirmou o presidente do SEEB/CE.


“Por outro lado, nos preocupa muito a situação dos funcionários, que investiram na sua formação em comércio exterior e agora correm o risco de serem sub-alocados na rede de varejo do banco. Nossa luta também é pela manutenção das condições de trabalho e da remuneração desses trabalhadores”, esclarece Carlos Eduardo.


Segundo o representante da Fetrafi/NE, Gustavo Tabatinga, a medida do BB penaliza principalmente os pequenos e micro empresários. “O Nordeste é quem perde com essa centralização, porque até mesmo a unidade de Recife será drasticamente reduzida. Enquanto isso, os pequenos e micro produtores serão extremamente prejudicados, pois a Gecex ensinava o cearense a trabalhar no setor, com workshops, apoio, assessoria, tudo isso esses empreendedores deixarão de ter acesso”, avalia. Ele citou o caso dos produtores de flores de São Benedito, que já tinham de vir até a capital intermediar seus negócios com países como Holanda, por exemplo, e que agora terão de buscar outros caminhos para continuar fechando seus negócios.


O deputado Sérgio Aguiar (Pros) também está preocupado com a questão. “As exportações, principalmente na área do agronegócio, ficam comprometidas. Vão aumentar custos, tendo em vista a transferência para Recife, entre outras consequências, como o lado social do banco”, destacou, defendendo a união entre o Governo do Ceará e a bancada federal cearense para reverter a decisão.


“Queremos envolver o Poder Legislativo, Estadual e Federal, o setor produtivo, o próprio governador eleito do Ceará, para evitarmos o fechamento definitivo da Gecex. O BB afirmou que iria adiar o fechamento do setor, mas hoje em dia, a atuação já está suspensa. Não podemos permitir que uma política centralizadora do banco prejudique toda uma região”
Gustavo Tabatinga, secretário de assuntos jurídicos do Sindicato dos Bancários do Ceará