Sindicato sorteia exemplares do livro ?A Terceirização Bancária no Brasil?

10

O Sindicato dos Bancários do Ceará vai sortear, através do site, entre os bancários e aposentados associados, sete exemplares do livro do juiz do trabalho Grijalbo Coutinho, “A Terceirização Bancária no Brasil – Direitos Humanos Violados pelo Banco Central”. O livro fala do uso do instrumento da terceirização, além de uma análise sobre a atuação do Banco Central diante da questão.


Para concorrer ao sorteio, o bancário deve acessar o site www.bancariosce.org.br e preencher o formulário que está disponível na página. Os exemplares serão sorteados no dia 15 de maio, na sede do Sindicato (Rua 24 de Maio, 1289 – Centro). É importante lembrar que cada bancário associado pode concorrer apenas com um cupom.


E os ouvintes da Rádio Bancários também estão concorrendo a sete exemplares do livro. É só ficar atento à programação diária, que vai ao ar de segunda a sexta, de 7h30 às 8h, na Rádio Universitária (107.9 FM). Os telefones da Rádio Bancários são (85) 3366 7474 ou 3366 7472. Ligue e concorra.


O livro – Em meio a avaliações sobre os direitos humanos e do trabalho, Coutinho faz diversas críticas à atuação do Banco Central e ao aumento do que ele chama de bancários “informais” por trabalharem como correspondentes. Segundo o juiz, os processos diários analisados pela Justiça envolvendo terceirizações já totalizam cerca de 50% e tendem a aumentar.


Grijalbo classifica a terceirização como um “invento de máxima eficácia na destruição dos direitos humanos da classe trabalhadora em todo o mundo”. Ele explica que esse fenômeno da economia globalizada viola o que já foi conquistado e impossibilita o respeito às leis trabalhistas, ferindo direitos humanos que foram conquistados com lutas sociais e a dignidade dos trabalhadores.


A obra traz à tona a dialética entre o efetivo exercício dos direitos humanos e trabalhistas e o atual modo como a terceirização bancária vem se conduzindo no Brasil. A tentativa do Banco Central de legislar sobre o tema também recebeu duras críticas. Ele afirma que não foi dado ao BC o direito de legislar sobre direito do trabalho nem editar resoluções que permitam a terceirização de serviços bancários.


Grijalbo Coutinho é juiz titular da 19ª Vara do Trabalho de Brasília e ex-presidente da Anamatra (Associação Nacional dos Magistrados da Justiça do Trabalho).