Sindicato unido com os vigilantes para defender direitos dos trabalhadores de banco

38

Vigilantes e bancários estão juntos na Campanha Nacional 2008. Esta é uma das diretrizes do Sindicato dos Bancários do Ceará, que defende que a atuação deve defender os direitos de todos os trabalhadores de bancos. O descaso dos banqueiros com as reivindicações dos bancários e dos vigilantes é o motivo da união das duas categorias.


A parceria entre as duas categorias foi anunciada em julho, durante a Conferência Nacional dos Bancários, pelo presidente da Confederação Nacional dos Trabalhadores Vigilantes (CNTV), filiada à CUT, José Boaventura Santos. Os vigilantes querem mudar sua data-base de maio para 1º de setembro, para somar forças com a categoria bancária. Também querem equiparação de direitos como o valor do vale-refeição dos bancários e plano de saúde.


Bancários e vigilantes se reuniram no último dia 25/9 com a Polícia Federal, em Brasília, e protocolaram documento com propostas para a melhoria do projeto de Estatuto da Segurança Privada, a ser enviado ao Congresso Nacional, para a atualização da lei federal nº 7.102/83 que estabelece regras para a segurança nos bancos. O ofício foi entregue pelo secretário-geral da Contraf/CUT, Carlos Cordeiro, e pelo presidente da Confederação Nacional dos Trabalhadores Vigilantes, José Boaventura dos Santos.


“Nossa participação na Conferência Nacional dos Bancários foi um marco para os trabalhadores das duas categorias. Conseguimos consolidar um debate que vínhamos construindo a um bom tempo”, afirmou o presidente da CNTV.

Greve – No início de junho, durante a greve dos vigilantes, os bancários tiveram participação decisiva ao denunciar a postura dos bancos em abrir agências mesmo sem as condições mínimas de segurança.