SINDICATOS SÃO FUNDAMENTAIS PARA A DEFESA DOS DIREITOS DA CLASSE TRABALHADORA

10


Carlos Eduardo, presidente do Sindicato dos Bancários do Ceará


A Confederação Nacional dos Trabalhadores do Ramo Financeiro (Contraf-CUT) lançou dia 7/10 a Campanha #FechaComAGente, com o objetivo de mostrar a importância da valorização das entidades sindicais, com a produção de diversos materiais e conteúdos visando atingir e informar os bancários sobre como a luta do movimento sindical é fundamental para garantir os direitos dos trabalhadores.


Uma das maiores conquistas do movimento sindical bancário e da própria categoria é o nosso Acordo Coletivo que garante direitos como vale-alimentação, vale-refeição, auxílio-creche, convênio médico, Participação nos Lucros e/ou Resultados (PLR), jornada de seis horas, licença-maternidade, entre outros. Ele garante ainda que bancários de todo o país tenham os mesmos direitos, remuneração e benefícios, independente da cidade ou estado onde exercem seu trabalho.


Conquistas dos bancários e bancárias que só foram possíveis após muita luta. Nada disso foi dado pelos banqueiros, mas foi fruto de muita luta, várias greves, manifestações nas ruas e árduas mesas de negociações que, inúmeras vezes, viravam as noites, mas que foram importantes para garantir direitos e arrancar novas conquistas para a categoria.


Para quem ainda não se convenceu da importância dos sindicatos para a classe trabalhadora e para a própria economia de um país, vale ressaltar uma breve constatação do acadêmico e deputado norte-americano pela Califórnia, Ro Khana. Ele atribui que o enfraquecimento dos sindicatos e a diminuição dos trabalhadores sindicalizados nos Estados Unidos são os responsáveis pelo aumento da desigualdade e o encolhimento da classe média no país. Segundo ele, os EUA enfrentam há quase 40 anos a estagnação da renda da metade mais pobre da sua população. Ao mesmo tempo, a renda média anual bruta dos 10% mais ricos dobrou (para US$ 311 mil); e a do 1% no topo triplicou (US$ 1,3 milhão). No twitter, o deputado defendeu ainda o fortalecimento dos sindicatos e a expansão das sindicalizações nos Estados Unidos como forma de aumentar o poder dos trabalhadores frente aos patrões.


Segundo pesquisa divulgada no final de agosto pelo instituto Gallup, 64% das pessoas em idade economicamente ativa nos Estados Unidos aprovam e apoiam a ação sindical. Nos últimos dois anos, os sindicatos filiados à American Federation of Labor and Congress of Industrial Organizations (AFL-CIO), principal central sindical americana, conquistaram meio milhão de novos sindicalizados, apesar de toda a oposição do partido Republicano e de decisões judiciais que pretendem esvaziar o movimento sindical.


Por isso, convidamos os bancários e bancárias a se engajarem nessa campanha. Os materiais estão sendo disponibilizados no site da Contraf-CUT (www.contrafcut.org.br) e mostram como foram conquistados direitos como aumento real, PLR, vales alimentação e refeição, 13ª cesta etc. A campanha também está disponível nas redes sociais da Confederação.


Valorize quem está na luta por você e por seus direitos. Faça parte desta conquista #FechaComAGente!