Sociedade deve mobilizar-se na luta pela democratização dos meios de comunicação

23

O jornalista Altamiro Borges realizou o lançamento do seu livro, “A Ditadura da Mídia”, no último dia 13/8, na sede do Sindicato dos Bancários do Ceará. O evento foi realizado em conjunto com um debate reunindo o autor e o coordenador da Adital, padre Ermano Allegri que abordaram, entre os outros temas, a importância da democratização dos meios de comunicação.


A abertura do evento foi realizada pelo assessor político do Sindicato, Vicente Flávio, que ressaltou a preocupação da entidade em fugir do corporativismo. “O Sindicato tem se esforçado para mudar a cultura sindical, deixando de olhar só para o seu universo e realizando debates políticos amplos abertos a toda a sociedade”.


Para Altamiro, a luta pela democratização da mídia é decisiva no mundo atual e a sociedade tem que encarar a comunicação como um direito. “Quando a saúde é ruim, a gente reclama, quando a água que sai da torneira é suja, a gente reclama, mas quando a informação é de má qualidade ninguém diz nada. Temos que deixar de ser receptores passivos e desenvolver nosso espírito crítico com relação à informação que chega na nossa casa”. Ele falou ainda da necessidade de toda a sociedade se engajar no debate sobre a Conferência Nacional de Comunicação, pois ela será o fórum ideal para conquistar essa democratização da mídia.


De acordo com ele, o livro propõe três desafios: denunciar a mídia que aí está, exercendo a criticidade; fortalecer os meios de comunicação alternativos, deixando de encará-los como gastos e passando a vê-los como investimento no campo ideológico, na disputa pela hegemonia e por último, conquistar políticas públicas para os meios alternativos e lutar pela regulamentação da mídia no Brasil.


Já o padre Ermano Allegri enfatizou também a necessidade de se valorizar o que ele chama de “mídia independente ou livre”, destacando que, hoje, no Brasil não se dá a devida importância a esses meios. “Nós temos dois caminhos: ignorar ou lutar para mudar essa realidade. A mídia independente não pode se achar coitadinha, pequena, mas deve assumir seu papel de conscientização e sua importância para a sociedade”.

SERVIÇO:

Valor por exemplar: R$ 20,00

Na venda de cotas para entidades sindicais e populares (acima de 50 exemplares), o valor unitário é de R$ 10,00. Para adquirir o livro, escreva para: aaborges1@uol.com.br.