Superintendência do Cade recomenda aprovação da compra do HSBC pelo Bradesco

10


A Superintendência-Geral do Conselho Administrativo de Defesa Econômica (Cade) recomenda a aprovação da compra do HSBC pelo Bradesco. Agora, o processo segue para decisão final do Tribunal do Cade, que pode acolher a recomendação da Superintendência-Geral, reprovar a operação ou ainda adotar outras medidas para afastar problemas de concorrência. A decisão foi publicada na edição de 4/4, no Diário Oficial da União.


A superintendência recomendou a aprovação, desde que condicionada à celebração de um Acordo em Controle de Concentrações (ACC) entre o Bradesco e o Cade. Segundo o Cade, essa proposta de acordo já foi aceita pelo banco.


De acordo com análises realizadas pelo próprio Cade, mesmo com a aquisição do HSBC, o Bradesco segue como quarto maior banco do País, com menos de 20% de mercado, atrás de Banco do Brasil, Caixa e Itaú, que permanecem como concorrentes em todos os segmentos analisados. Entretanto, foram identificados no Bradesco problemas como baixa portabilidade; grande número de reclamações de clientes; e participação elevada do banco, em número de agências, em alguns municípios.


O acordo prevê medidas a serem implantadas pelo Bradesco como a melhoria de indicadores de portabilidade da conta salário, operações de crédito e qualidade, divulgação de informações sobre o cadastro positivo, treinamentos e criação de programa de compliance concorrencial. Se o ACC for efetivado, o descumprimento dos termos resulta na aplicação de multas pelo Cade.


O Bradesco anunciou a compra do HSBC em agosto de 2015.