Suspensas as Comissões de Conciliação Prévia em todo o País

43

Está suspensa a Comissão de Conciliação Prévia do Banco do Brasil. A orientação é da Contraf-CUT que anuncia a suspensão temporária das CCPs. Depois de uma série de problemas enfrentados pelos bancários na conciliação, a Contraf-CUT promoveu uma reunião na quinta-feira, dia 8/11, com sindicatos do País inteiro. O encontro contou com a participação de um representante do banco e, ao final, os bancários decidiram suspender as CCPs.


“Numa demonstração de total desrespeito e desprezo para com os representantes dos trabalhadores, os negociadores do banco não compareceram ao debate. Mandaram o gerente de núcleo, talvez com receio de serem cobrados pelo não cumprimento dos compromissos que assumiram com os trabalhadores”, afirma Marcel Barros, coordenador da Comissão de Empresa dos Funcionários do BB.


O enviado do banco foi informado de todos os problemas verificados com as CCPs, entre eles, os cálculos que não estão sendo feitos quando o trabalhador comprova que seus direitos foram burlados. O Banco do Brasil também alterou o anexo 1 do acordo pretendendo a quitação dos valores devidos à Cassi e à Previ e ainda tenta dar como quitados direitos não transacionados. Outro problema é a tentativa do BB negociar diretamente com os funcionários, via Gepes, sem a intermediação dos sindicatos, além de não cumprir os prazos acordados.


“Com base nessas constatações, a Contraf-CUT propôs negociação urgente com o Banco do Brasil para solucionar esses problemas apontados. Até resolvermos isto, os sindicatos devem se abster de realizar as conciliações”, destaca Marcel.