Taxa de desemprego cai em Fortaleza, segundo Dieese e Seade

33


Dados de setembro da Pesquisa de Emprego e Desemprego na região metropolitana de Fortaleza (PED/RMF), feita pelo Departamento Intersindical de Estatística e Estudos Socioeconômicos (Dieese) e pela Fundação Sistema Estadual de Análise de Dados (Seade), mostram a continuidade do crescimento da ocupação desde o mês de junho e redução da taxa de desemprego.


Entre os meses de setembro de 2011 e de 2012, a taxa de desemprego total passou de 8,9% para 8,7% da População Economicamente Ativa (PEA). Em relação a agosto deste ano, a redução foi maior, quando a taxa era de 9,4%. No mesmo período, o contingente de desempregados diminuiu em duas mil pessoas, devido à ampliação do total de ocupações (30 mil), em número maior que o contingente de pessoas incorporadas ao mercado de trabalho da RMF (28 mil).  Além disso, cresceu o emprego assalariado em 27 mil novos postos de trabalho (2,6%).  


No setor privado, houve ampliação no emprego com carteira assinada (29 mil ou 4,3%) e redução do emprego sem carteira (-3 mil postos ou -1,4%). Na análise anual, os rendimentos médios reais dos ocupados e dos assalariados cresceram 5,6% e 6,6%, respectivamente. A ampliação do nível ocupacional (1,8%) refletiu a expansão do número de ocupados no Comércio e reparação de veículos automotores e motocicletas (32 mil ou 8,8%) e nos Serviços (28 mil ou 3,5%) e a redução na Construção (-14 mil ou -10,1%) e na Indústria de transformação (-9 mil ou -2,8%).


No Brasil – Em setembro, a taxa de desemprego total apresentou relativa estabilidade ao passar de 11,1%, em agosto, para os atuais 10,9%. Entre setembro de 2011 e de 2012, no conjunto das regiões pesquisadas, a taxa de desemprego total oscilou de 10,6% para os atuais 10,9%. No mesmo período, a taxa diminuiu em Belo Horizonte, Porto Alegre, Recife e no Distrito Federal; aumentou em Salvador e em São Paulo; e permaneceu relativamente estável em Fortaleza.