Terceira rodada de negociação com o BNB abordou saúde e condições de trabalho

22


O Comando Nacional dos Bancários, assessorado pela Comissão Nacional dos Funcionários do BNB

(CNFBNB), se reuniu com a direção do BNB, dia 6/8, na terceira rodada negociação específica, que tratou de cláusulas referentes à saúde e condições de trabalho. A negociação contou com a presença do secretário geral da Contraf-CUT, Gustavo Tabatinga e representantes de Sindicatos com o BNB na base.


Inicialmente, os representantes dos trabalhadores trataram sobre a remuneração do empregado considerado inapto pelo Banco mas que esteja com recurso no INSS que o considera apto. O Comando quer garantir o salário dos funcionários em licença médica até que o recurso seja avaliado pelo INSS. “Queremos uma nova redação para que seja efetivamente garantido o direito. O objetivo é evitar que esses funcionários, que já estão fragilizados, caiam num limbo jurídico”, ressaltou Gustavo Tabatinga. O banco deve analisar uma nova redação para a cláusula já que as regras do INSS mudaram e a cláusula deve se adequar ao novo regramento, sem que haja prejuízo para o empregado ou para o Banco.


O Comando Nacional tratou ainda da operacionalização do Cred e do AgroAmigo. Os representantes dos trabalhadores entendem que o serviço deveria ser operacionalizado por funcionários concursados. Isso diminuiria o grau de terceirização dentro do Banco e proporcionaria a necessidade de realização de concurso público para mais contratações. O Banco informou que, devido ao processo eleitoral, não seria possível mais a homologação de concurso este ano.


Os representantes dos trabalhadores cobraram mais uma vez o abono das faltas da greve geral (dias 28/4 e 30/6/2017), assim como a suspensão de seus reflexos na vida funcional dos colegas do Banco que aderiram à paralisação.


Foi abordada ainda a ampliação das ausências legais, como em casos de acompanhamento de parentes ao médico e para a realização de consultas e exames obrigatórios.


CAPEF – O Comando Nacional e a CNFBNB abordaram também questões relativas à Caixa de Previdência dos Funcionários do BNB (Capef). Os trabalhadores cobraram a reformulação do Plano BD e a democratização da gestão da Caixa (com a eleição de um diretor representante dos associados). O Banco ficou de analisar.


CAMED – Os trabalhadores solicitaram ainda adiantamento para despesas não cobertas pelo plano de saúde e auxílio para modalidades médicas e medicamentos que não estão no rol de procedimentos da ANS.


A expectativa é que, na próxima negociação, a direção do BNB apresente uma proposta aos representantes dos funcionários, em consonância com o que for apresentado pelos banqueiros na mesa única de negociação.


“Temos que estar todos dispostos a lutar pelos nossos direitos e nossas conquistas. Isso significa não apenas reclamar e passar a responsabilidade adiante. Mas ser protagonista em todos os momentos em que seja necessário um posicionamento altivo, calcado na reflexão que leva à consciência de classe e à absorção da responsabilidade que cada um de nós tem na construção do bem coletivo”
Tomaz de Aquino, diretor do SEEB/CE e coordenador da CNFBNB