TRABALHADORES CONQUISTAM AVANÇOS NO GT DE SAÚDE

20


Os trabalhadores do Itaú saíram otimista da reunião do Grupo de Trabalho (GT) de Saúde, realizada na sede da Contraf-CUT, em São Paulo, na quarta-feira (30/10).


A direção do banco se comprometeu a ter como prioridade as reivindicações apresentadas pelo movimento sindical, desde 2016, como as cláusulas de antecipação salarial e a do salário emergencial para que o trabalhador afastado consiga pagar seus compromissos num momento de dificuldade de saúde.


Quanto ao endividamento do trabalhador afastado depois do retorno, o banco se comprometeu a analisar uma fórmula que não permita que o holerite fique zerado até quitar a dívida, como acontece atualmente.


Outro ponto importante é a o descritivo dos descontos nos holerites, que confunde muito o trabalhador. O Itaú buscará, via sistema, uma solução. O banco reconheceu ainda que há problemas no processo desde o primeiro dia de afastamento, para entrega de documentos, até o fechamento da folha de pagamentos e isso contribui para que os valores sejam confusos. Para a próxima reunião, marcada para a segunda semana de dezembro, o banco ficou de fazer uma apresentação do novo programa de readaptação do trabalhador.


“Estamos acompanhando de perto o GT de Saúde para que o que está convencionado seja realmente cumprido e para que o funcionário afastado não seja prejudicado naquele momento em que ele mais necessita de apoio. Esperamos que a próxima reunião traga novos avanços”
Ribamar Pacheco, diretor do Sindicato e representante da Fetrafi/NE na COE Itaú