Trabalhadores definem prioridades para Conferência do Emprego e Trabalho Decente

9

A CUT e as demais centrais sindicais encerraram na terça-feira (31/7), em São Paulo, uma oficina preparatória para 1ª Conferência Nacional do Emprego e Trabalho Decente, que acontece de 8 a 11/8, em Brasília.


Após dois dias de debate, as lideranças dos trabalhadores fecharam acordo sobre as propostas que unificam a bancada. Para o movimento sindical, a aprovação de deliberações contra práticas antissindicais e pela promoção da igualdade são prioridades.


“Não vamos abrir mão de levar até o fim do processo de votação o compromisso de o Brasil ratificar as Convenções 158 (sobre a garantia de emprego contra a demissão imotivada) e 189 (que garante às domésticas os mesmos direitos dos demais trabalhadores) da OIT, além da redução da jornada para 40 horas semanais sem redução de salário”, apontou a secretária da Mulher Trabalhadora da CUT, Rosane Silva, que representa a Central na coordenação do encontro ao lado do secretário de Administração e Finanças, Quintino Severo. Outro tema de comum acordo que constará no texto a ser discutido em Brasília é o direito dos trabalhadores decidirem livremente sobre o financiamento e organização de seus sindicatos.

Sem consenso – Para compor unidade, questões em que não houve consenso foram excluídas do texto proposto, como o fim da unicidade sindical e a Convenção 87 da OIT, que versa sobre a liberdade e autonomia sindical. Os temas continuam sendo discutidos em ambientes exclusivos dos trabalhadores, como o Fórum das Centrais Sindicais.

Maior bancada, maior responsabilidade – Delegação com maior número de representantes – são 153 delegados, 43,5% do total de 354 destinado a cada bancada –, a CUT tem a responsabilidade de iniciar agora as articulações regionais. E também de garantir quórum para a aprovação das propostas dos trabalhadores.