Trabalhadores pressionam deputados em Brasília

14

Foi um dia de manifestação dos trabalhadores em Brasília. Logo na manhã da terça-feira (27/3), faixas com a mensagem “Reforma tributária com justiça social começa com PLR sem imposto” apareciam estendidas pelas principais vias da capital federal. Era a campanha que cobra dos parlamentares e do governo federal a isenção de imposto de renda na Participação nos Lucros e Resultados (PLR) recebida pelos trabalhadores.


Parlamentares também receberam dos representantes de bancários, metalúrgicos, petroleiros, químicos e urbanitários material explicativo sobre o tema, cobrando a votação das emendas à Medida Provisória 556, que tratam da isenção – o que deve acontecer até o início do mês de abril.


Essa foi a segunda vez, somente em março, que representações sindicais foram a Brasília com a campanha PLR sem IR em pauta. No dia 14/3, obtiveram do relator da Medida Provisória 556, deputado federal Jerônimo Goergen (PP/RS), compromisso de que serão mantidas as emendas que estabelecem a isenção do imposto. A Contraf-CUT foi representada pelo secretário de Organização do Ramo Financeiro, Miguel Pereira.


Os dirigentes sindicais também estiveram reunidos dia 21/3 com os ministros da Fazenda, Guido Mantega, e da Secretaria-Geral da Presidência da República, Gilberto Carvalho que também confirmaram compromisso com os trabalhadores.


A mobilização da última semana coroa uma luta que vem desde o ano passado. Em dezembro, o governo recebeu um estudo sobre o impacto dessa isenção, com a assinatura de 220 mil trabalhadores.


Pressione – Para pressionar os parlamentares, bancários, metalúrgicos, químicos, petroleiros e urbanitários devem enviar mensagens aos congressistas cobrando a aprovação. O endereço é: http://www2.camara.gov.br/participe/fale-conosco/fale-com-o-deputado/fale_conosco_form_deputado e o recado que o Sindicato sugere é: “Parlamentar, aprovar emendas à MP 556 que isentam de imposto de renda a PLR dos trabalhadores é promover justiça social e tributária”.