Trabalhadores querem a retirada do PLS 555

10


Representantes do movimento sindical reuniram-se com o ministro do Planejamento, Nelson Barbosa, e o secretário de Relações de Trabalho do Ministério, José Lopes Feijó, para alertar sobre a ameaça que o Projeto de Lei do Senado 555/2015 representa para os trabalhadores e para o povo brasileiro.


O texto pretende transformar empresas estatais, como a Caixa, em sociedades anônimas, com negociação de ações na bolsa.  A mudança pode significar a extinção do caráter social do banco, por exemplo, em detrimento da obtenção de lucro para satisfazer os acionistas.


Na reunião, ocorrida no dia 18, Barbosa disse que o governo está atento à discussão no Congresso e designou dois assessores diretos para conversar com as entidades e definirem agenda conjunta de ações em relação à tramitação da proposta.


Roberto von der Osten, presidente da Contraf-CUT, informou que o ministro Barbosa acolheu os movimentos sociais e demonstrou interesse em buscar interlocução com o Congresso Nacional. “Um projeto da abrangência deste PLS 555 não pode tramitar sob urgência e nem ser aprovado sem ser amplamente discutido com a sociedade. Reduz o papel do Estado e cria condições para uma privatização geral. Será que o povo brasileiro quer isso?”, questionou.