Transporte de explosivos terá escolta armada a partir de novembro

25

Explosivos usados por mineradoras e outras empresas que trabalham com o artefato só poderão ser transportados com escolta armada, para evitar roubos. Uma das novidades da Portaria 03/2012, publicada no dia 18/5 pelo Exército, a regra foi anunciada após a onda de ataques a depósitos de dinamites em Minas Gerais, que expôs a fragilidade do armazenamento desse tipo de material.


Quadrilhas conseguiram desviar dos paióis no Estado quase uma tonelada de explosivos, desde julho do ano passado. O produto é usado por criminosos, principalmente, para arrombar caixas eletrônicos. A portaria do Exército, com regras de segurança mais rígidas, passarão a ser cobradas a partir de novembro.


Segundo o capitão Jomar José Nunes Lobo Júnior, oficial de comunicação social da 4ª Região Militar do Exército, atualmente, os veículos que transportam dinamite precisam ser equipados apenas com telefone celular, rádio comunicador e sistema de rastreamento em tempo real.


Em 2012, no Ceará, foram registrados 14 arrombamentos a agências e postos de serviços, sendo que destes, em sete foram utilizados explosivos. O último caso aconteceu na quinta-feira, 31/5, em Tamboril (Inhamuns), onde a agência do Bradesco ficou completamente destruída.


O oficial afirma que o título de registro, documento autorizando a produção de explosivos, é concedido pela Diretoria de Fiscalização de Produtos Controlados do Exército, em Brasília. “Para que mineradoras e outras empresas usem dinamite, é preciso que tenham o certificado de registro”. O transporte é autorizado mediante apresentação do termo de transferência de posse, com informações sobre a origem e o destino do material e a quantidade transportada.

Segundo o capitão, os explosivos podem ser transportados em caminhões com carroceria aberta ou fechada, desde que atendam às condições técnicas de segurança.