Tudo como antes no quartel de Abrantes

13

O Conselho de Administração do BNB aprovou em 1º de setembro de 2011 a recondução dos atuais membros da Diretoria da Instituição por mais dois anos. Trata-se de um continuísmo que deixa o corpo funcional em estado de alerta. Apesar de cinco dos seis diretores serem funcionários do Banco, muito pouco fizeram pelos seus colegas de casa durante a gestão passada.


O Sindicato dos Bancários do Ceará não está se referindo a privilégios quando cobra desses “colegas” medidas e atos de gestão que respeitem os direitos e as conquistas do funcionalismo. E cita como exemplo as diversas demandas apresentadas à Diretoria Administrativa do BNB, até hoje ignoradas, tais como: tratamento isonômico e igualitário para todos os funcionários; implantação de um novo Plano de Cargos e Remuneração; solução para os passivos trabalhistas; convocação de concursados; redução da terceirização; implantação do ponto eletrônico; fim da politicagem nos processos de comissionamentos e transferências; dentre outros.


O Diretor da Área Administrativa e de TI, Stélio Gama Lyra Jr, não vai poder mais alegar interinidade para fugir de suas responsabilidades na condução e resolução das pendências de sua pasta. Assim como o Partido dos Trabalhadores, responsável pela indicação de todos os diretores do BNB, não pode ficar omisso de cobrar o encaminhamento e a solução dos problemas que afligem os benebeanos.


O SEEB/CE vai continuar lutando com firmeza e denunciando o descaso com que essa antiga/atual Direção vem tratando os bancários do BNB. E o fará em todas as instâncias da sociedade a fim de que não se cumpra a profecia que dá título a esse editorial e, sim, pelo contrário, que esses dirigentes reconduzidos aos respectivos cargos, com suas mordomias, elevada remuneração e benesses lembrem-se que um dia já foram funcionários de carreira da Instituição e passem a tratar os seus “companheiros” de jornada com respeito, dignidade e justiça.