UNI Américas avança na discussão do Acordo Marco Global com o Itaú

7


A UNI Américas, o braço continental da UNI-Sindicato Global, reuniu-se dia 16/12 com a direção do Itaú, em São Paulo, avançando nas negociações com vistas à construção e assinatura de um Acordo Marco Global que garanta aos bancários do banco brasileiro que trabalham em qualquer país das Américas os direitos fundamentais previstos nas declarações da Organização Internacional do Trabalho (OIT), entre eles o de sindicalização, o de livre organização sindical e o de negociação coletiva.


Essa foi a terceira rodada de negociação da UNI Américas com o Itaú sobre o Acordo Marco. Na reunião anterior, realizada dia 20 de junho também em São Paulo, dirigentes sindicais da UNI, da Contraf-CUT e de representantes de bancários da Argentina, Uruguai, Chile e Paraguai apresentaram à direção do Itaú uma proposta de texto do Acordo Marco.


Liberdade de organização – No encontro do dia 16/12, os dirigentes sindicais sul-americanos reafirmaram a necessidade de o acordo contemplar três pontos fundamentais, referentes à liberdade de organização sindical, ao acesso dos sindicatos aos locais de trabalho e à divulgação do acordo aos funcionários.


“Queremos que o próximo encontro seja também um seminário, no qual poderemos reunir os sindicatos de bancários e as diretorias de RH dos países onde o Itaú está presente. Ali o banco poderá expor sua política internacional e a UNI Américas fará uma apresentação institucional”, explica André Luís Rodrigues, diretor regional da UNI Américas.


A UNI-Sindicato Global, ao qual a Contraf-CUT é filiada, representa mais de 20 de milhões de trabalhadores dos setores de serviços em todos os continentes.