UNIDADE E PARTICIPAÇÃO NA DEFESA DA CASSI

53


O ex-diretor eleito da Cassi, William Mendes apontou em artigo algumas alternativas em defesa da Caixa de Assistência dos funcionários do Banco do Brasil (Cassi). Ele considera que uma parceria entre trabalhadores da ativa e aposentados com a diretoria do patrocinador que supere uma aparente divisão interna, além da manutenção da solidariedade do sistema, sejam passos importantes a serem tomados para o bem da Cassi.


Segundo William Mendes, as caixas de previdência (Previ) e de assistência à saúde (Cassi) são exemplos de vanguardismos que viraram referência para os trabalhadores e empresas públicas e privadas brasileiras. Associações atléticas, de aposentados, de pessoas com deficiência e muitas outras fazem parte dessa história da comunidade Banco do Brasil.


Ele considera que atualmente, vivemos um momento político de grandes desafios da comunidade Banco do Brasil. Para William, a hora é de se construir unidade em torno de bandeiras centrais para defender os direitos e as entidades dos trabalhadores. “Uma dificuldade precisa ser superada de imediato: a aparente divisão interna entre as diversas forças representativas da comunidade de trabalhadores da ativa e aposentados desta instituição bicentenária. O momento exige que as entidades representativas sejam fortalecidas através de maior participação social e maior pertencimento por parte de associados da Cassi e da Previ nas discussões sindicais e de direitos da categoria bancária, uma das mais antigas, importantes e com histórico de lutas unitárias”, afirma ele. “É possível vencer o desafio de construir uma solução para reequilibrar a Caixa de Assistência, com a manutenção de direitos e deveres dos associados e do patrocinador, e fortalecer a Cassi para lidar com o desafio de atender ao conjunto dos associados, dependentes e familiares a partir do Sistema de Atenção Integral à Saúde pelas próximas décadas. Na minha opinião, a manutenção da solidariedade no sistema é fundamental”, completa.


Wiliam considera ainda que a solução só virá de forma coletiva, com maior empoderamento e pertencimento por parte dos trabalhadores da ativa e aposentados e também por parte da direção do patrocinador. Essa parceria tem a melhor perspectiva de sucesso e longevidade porque a Cassi é importante para todos. Uma Cassi forte terá melhores condições para enfrentar as dificuldades que já existem na compra de serviços de saúde no mercado da rede prestadora de serviços privados.