Vigilante é baleado e morto em ataque a carro-forte no interior do Ceará

28

Mais um vigilante perdeu a vida em ação. João Batista Souza Coelho, de 36 anos e há oito trabalhando para a empresa de Segurança Corpvs, foi atingido na cabeça durante uma emboscada ao carro-forte que ele dirigia pela rodovia estadual CE-362, ocorrida na sexta-feira, dia 14/1, entre os municípios de Uruoca e Martinópole, na Região Norte do Estado do Ceará.


Um bando de 15 homens cercou o veículo e começou a disparar contra o carro-forte. De acordo com informações dos três companheiros que sobreviveram, os bandidos ocupavam pelo menos três veículos; um Corolla prata, um Gol vermelho e uma Parati.


“Quando o tiroteio começou, os companheiros revidaram, mas os carros eram blindados”, conta o presidente do Sindicato dos Vigilantes do Ceará, Geraldo da Silva Cunha. Ele esteve em Sobral, onde o corpo de João Batista foi sepultado. O companheiro deixa três filhos pequenos.


A ação do bando, segundo relato dos vigilantes que escaparam, foi cinematográfica. A troca de tiro foi intensa e os tiros disparados pelo bando acabaram por acertar, através da escotilha (orifício usado para atirar de dentro do veículo), a cabeça do motorista.


Os assaltantes invadiram o carro-forte, explodiram o cofre e roubaram os malotes que, segundo calculam os companheiros, continham R$ 1,3 milhão. O corpo do companheiro assassinado foi jogado para fora do veículo pelos bandidos. Segundo o comandante do 3º BPM (Sobral), tenente-coronel Gilvandro Oliveira, no local do crime foram encontrados cordel detonante, nitroglicerina, bananas de dinamite com detonadores e coquetel “molotov”.


Nesse momento em que todos os vigilantes e bancários sentem a dor da família do companheiro assassinado, o SEEB/CE gostaria de prestar sua homenagem a João Batista e prestar total solidariedade à sua família. Segundo Carlos Eduardo Bezerra, presidente do Sindicato, “também reforçamos o apelo para que ações efetivas sejam tomadas no sentido de impedir que mais vidas se percam e mais famílias sofram”.