Violência sexual contra crianças e adolescentes atinge mais de 1 milhão por ano

23

A violência sexual contra crianças e adolescentes é um fenômeno que ocorre em todas as classes sociais e em escala mundial. Dados do Fundo das Nações Unidas para a Infância (Unicef) apontam que cerca de um milhão de crianças são vítimas do crime no mundo a cada ano. Um dos episódios mais bárbaros que aconteceram no País e que ganhou grande repercussão na mídia internacional foi o “Caso dos Meninos Masculados”. Entre 1991 e 2004, quarenta e dois garotos, entre 4 e 15 anos, foram violentados, emasculados e mortos no Maranhão e no Pará. O criminoso foi preso.


No Ceará, o número de denúncias e acompanhamentos de abuso sexual têm crescido vertiginosamente nos últimos anos. De acordo com dados do Núcleo de Enfrentamento à Violência contra Criança e Adolescentes, órgão ligado a Secretaria de Trabalho e Desenvolvimento Social do Estado, os casos saltaram de 272, em 2007, para 435, em 2008, o que representa um aumento de quase 60%. Já os de exploração sexual diminuíram no mesmo período. Passaram de 159 para 130 casos.


Para a diretora do Núcleo de Enfrentamento à Violência, Débora Teixeira, as campanhas de combate ao crime, organizada pelos órgãos públicos, têm surtido efeito. “A gente percebe que a população está mais consciente através do aumento das denúncias”, afirmou. Débora alerta para os sintomas que indicam se uma criança está sofrendo abusos ou exploração sexual. “Ela passa a ficar mais retraída, a ter uma auto-estima baixa, além de pensamentos depressivos”.


Com o lema “Vire o jogo: a violência sexual não é uma escolha, nem é normal”, o Conselho Tutelar é outro órgão público que irá desenvolver atividades para mobilizar a população para a temática. Sobre o assunto, a conselheira Isaíra Cabral aponta a família como uma das principais culpadas pelos casos. “Muitas vezes, membros da família, como o padrasto ou o tio, são os agressores, o que torna mais difícil perceber a violência que acontece dentro da própria casa da vítima”. Ela afirmou que muitas vezes, mesmo com ajuda psicológica, a vítima carrega traumas para o resto da vida.

COMBATE – Em 1973, uma menina de oito anos foi espancada, violentada e assassinada na cidade de Vitória (ES). Os culpados nunca foram punidos. Em razão do crime, foi criado, em 2000, o Dia Nacional de Combate ao Abuso e à Exploração Sexual de Crianças e Adolescentes. Desde então, o 18/5 se tornou uma data simbólica em favor da preservação da infância e contra a impunidade de agressores sexuais em todo o Brasil.

SERVIÇO – Para denunciar casos de exploração e abuso sexual, ligue: 100 (nacional), 0800-2851407 (estadual) ou 08002850880 (municipal). A ligação é gratuita e não é necessário se identificar.