XIX Congresso dos Funcionários do BNB acontece em Teresina (PI)

12


A Contraf-CUT, assessorada pela Comissão Nacional dos Funcionários do BNB (CNFBNB), realiza o XIX Congresso Nacional dos Funcionários do BNB, nos próximos dias 24 e 25 de maio, em Teresina, no Piauí. O evento irá definir a pauta específica de reivindicações dos funcionários do BNB na Campanha Salarial de 2013.


Participação – As orientações para o Congresso já foram encaminhadas para os sindicatos e as federações de bancários, estabelecendo os critérios de participação e o número das delegações por estado.


O critério para participação é de um delegado para cada 50 funcionários da ativa ou fração maior ou igual a 25. Os aposentados participarão na proporção de um para cada 100 funcionários aposentados ou fração igual ou superior a 50, garantindo-se no mínimo um por estado. Os representantes de cada entidade que integra a Comissão Nacional serão considerados delegados natos e o número de observadores obedece à proporção de 10% do total de delegados eleitos.


A expectativa é que cerca de 120 delegados participem do XIX Congresso Nacional dos Funcionários do BNB, sendo que cada estado deve eleger seus delegados em assembleias a serem realizadas até a data limite de 11/5, e as inscrições feitas impreterivelmente até o próximo dia 14/5.


Os delegados do Ceará serão eleitos durante o Encontro dos Funcionários de Bancos Públicos, a ser realizado no próximo dia 4/5, em Fortaleza.


Programação – O evento acontece durante dois dias em Teresina (PI). Na abertura, a ser realizada na manhã do dia 24/5, haverá um painel sobre conjuntura nacional e regional.


À tarde, os delegados serão divididos em grupos que discutirão quatro diferentes temas: Remuneração e Jornada; Previdência e Saúde; Papel dos Bancos Públicos e Organização do Movimento.


No dia 25/5, pela manhã, acontece a plenária final, quando será  votada e aprovada a pauta específica de reivindicação dos funcionários do BNB.


“Essa 19ª edição do Congresso dos funcionários do BNB será um momento importante para debatermos o papel social do Banco e a transparência na sua gestão, além das condições relativas ao trabalho e ao dia-a-dia do funcionalismo, será também  uma oportunidade ímpar de organização da categoria para as negociações futuras”, avalia Tomaz de Aquino, coordenador da CNFBNB.