Bancários do Ceará participam do 1º de Maio pela revogação das reformas antipovo

139

Os bancários do Ceará se uniram ao conjunto dos trabalhadores no ato do 1º de Maio – Dia Internacional dos Trabalhadores – que foi realizado pelo segundo ano consecutivo no bairro Pirambu, em Fortaleza. Após anos de ataques, perda de direitos e aumento da miséria e da fome, a atividade de rua convocada de forma unificada pela CUT Ceará, CTB, Intersindical, Coletivo Sindical e Popular Travessia, CSP Conlutas, e as Frentes Brasil Popular, Povo Sem Medo, retornou às ruas diante de uma nova perspectiva no país, com um governo que apresenta uma nova oportunidade para a classe trabalhadora, de ir em busca da reconstrução do país a partir de sua agenda.

Com o mote “em defesa da revogação das reformas antipovo, emprego, renda, salário mínimo valorizado, contra os juros altos e pela vida das mulheres”, a marcha dos trabalhadores saiu do cruzamento das avenidas Doutor Theberge e Vila do Mar, percorreu as principais ruas do bairro conversando com os moradores sobre as pautas mais urgentes da classe trabalhadora, e seguiu até a pracinha da rua Dom Quintino, onde a atividade de rua foi encerrada. Um conjunto de ações voltadas para os trabalhadores foi realizado pelo Instituto de Desenvolvimento do Trabalho (IDT) na concentração do ato.  A ação foi realizada em parceria com o Governo do Ceará por meio da Secretaria do Trabalho do Estado.

“Esse 1º de Maio é ainda mais especial por ser o primeiro, em anos, em que não vemos nossa democracia ameaçada. Continuaremos na luta pela valorização do trabalho e pelo desenvolvimento de uma sociedade mais justa e igualitária”, afirma Wil Pereira, presidente da CUT-CE.

Bancos públicos fortalecidos – O fortalecimento dos bancos públicos também foi pauta do 1º de Maio 2023, como destacou o presidente do Sindicato dos Bancários do Ceará (SEEB) e da Fetrafi/NE, Carlos Eduardo. “Nós bancários precisamos fortalecer os bancos públicos, o crédito no país, para gerar um crescimento com justiça social. Precisamos de instituições fortes, de um Banco do Brasil, Banco do Nordeste e Caixa Econômica fortalecidos, para que estas instituições cheguem onde a população está. Precisamos que as privatizações sejam suspensas, e as políticas públicas sejam ampliadas, pois isso é um projeto de reconstrução social do país”.

Conheça as 15 pautas defendidas no 1º de Maio Unificado de 2023:

– Fortalecimento das negociações coletivas;

– Mais empregos e renda;

– Fim dos juros extorsivos;

– Política de valorização do salário mínimo;

– Direitos para todos;

– Revogação dos marcos regressivos da legislação trabalhista;

– Fortalecimento da democracia;

– Aposentadoria digna;

– Trabalho igual, salário igual – Convenção 156 (OIT);

– Valorização do servidor público – Convenção 151 (OIT);

– Contra o assédio moral, a violência e o racismo;

– Revogação do “Novo” Ensino Médio;

– Desenvolvimento econômico e social;

– Regulamentação do trabalho por aplicativos;

– Em defesa das empresas públicas.

Fonte: SEEB/CE, com informações da CUT Ceará

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here